7 Dicas para Viajar Gastando Pouco

Há uns meses atrás fizemos uma viagem para Salvador bem diferente do estilo de viagem que vínhamos fazendo com as crianças nos últimos tempos (predominantemente para resorts). Foi uma viagem bem econômica, e ainda assim maravilhosa! Arrisco a dizer que está entre as melhores viagens que fizemos. Aproveitamos de um jeito diferente, conhecemos lugares lindos, nos desapegamos de algumas coisas que acabavam sendo prioridade quando escolhíamos nossos destinos, e uma leitora sugeriu de eu dar algumas dicas de como viajar gastando pouco.

Eu não sou nenhuma especialista em viagens, mas vou listar aqui a forma que conduzimos nosso planejamento dessa vez, que funcionou e que queremos aplicar em outras oportunidades.

1 / Viaje fora de temporada

Não é sempre que é possível, mas viajar fora de temporada (Janeiro, Julho, Feriados), sempre será mais barato. As crianças ainda não estão em fase escolar que fiquem prejudicadas se perderem alguns dias de aula.

Mas acho que mesmo quando eles crescem mais, é possível avaliar semanas mais distantes do calendário de provas, e se organizar para evitar os meses de férias e feriados, que sempre terão tarifas mais altas.

2 / Escolha o destino de acordo com o valor da passagem

A não ser que você esteja planejando um destino específico, que é um sonho, uma viagem super programada, eu aconselho listar alguns destinos que pretende conhecer e começar a busca pelo preço das passagens. Se cadastre nos sites das companhias aéreas para receber as promoções de milhagens. Isso pode fazer uma diferença enorme no seu orçamento.

Quando pesquisar o valor das passagens, se tiver flexibilidade de datas, também considere o embarque tanto da ida quanto da volta, alguns dias antes e alguns dias depois.

No geral, bilhetes de terça e quarta-feira são mais baratos que os outros dias da semana. Os de sexta, sábado e segunda costumam ser os mais onerosos.

3 / Pesquise o preço para uma mesma hospedagem

A mesma hospedagem pode ter uma variação grande de valor para ser fechada pelo próprio site ou por sites de viagens. Eu sempre uso o Trip Advisor da seguinte forma.

Coloco no campo de busca o filtro do local e do período que vou viajar. Classifico o resultado da busca pelas melhores avaliações e então, seleciono alguns hotéis e comparo os valores que aparecem nos sites de viagens com o valor de hospedagem no próprio hotel.

Não tem regra. Tem vezes que está mais em conta no próprio hotel, outras pelo Decolar, outras pelo Hoteis.com, outras pelo Expedia. Tem que pesquisar mesmo. O bom do Trip Advisor é que os valores de todos esses sites aparecem de forma consolidada, e as avaliações dos viajantes são bem confiáveis!

4 / Abra mão da pensão completa ou sistema all inclusive

É uma mão na roda e uma comodidade deliciosa estarmos em um resort com o sistema all inclusive, ou com pensão completa. Porém, depois dessa experiência em Salvador, onde reservamos o hotel somente com café da manhã, sinceramente, acho que se você quer fazer uma viagem econômica, não vale a pena essa comilança sem fim…rs.

Se para você é importante e imprescindível comer loucamente o dia todo, ok, vai em frente. Mas pela experiência que tive em diversos resorts nos últimos anos, são poucos os que vão oferecer uma comida com alta qualidade durante o dia inteiro. Quando isso acontece, o preço sobe junto com a qualidade do que é oferecido. Natural.

Quando você reserva o hotel com meia pensão ou somente café da manhã, você tem um universo de possibilidades maior para fazer suas refeições e que em muitas vezes, sai mais barato. No nosso caso, a economia da hospedagem, mesmo tendo comido em restaurantes bem caros, foi mais que suficiente para pagar as refeições que fizemos e ainda gerar um saldo positivo.

Avalie o que é importante para você. Eu tenho repensado muito a respeito disso.

5 / Capriche no café da manhã

Por aqui, quando estamos viajando, costumamos tomar um café da manhã bem caprichado e fazer somente uma refeição principal durante o dia. Ah, mas e as crianças? Gente, são somente alguns dias, ninguém vai morrer de não almoçar e jantar todos os dias.

As crianças não costumam comer como nós no café da manhã, não costumam comer quantidades que possam deixar passar o almoço. Porém, eu sempre faço lanchinhos nos cafés da manhã de hotéis pra eles, e se acho necessário, peço no bar da piscina ou em algum local que estamos um prato pequeno ou um prato de adulto para eles dividirem.

Porém, nós, os adultos, não vemos necessidade de almoçar e jantar. Durante o dia petiscamos, fazemos um lanchinho, e a nossa refeição é o que chamamos de “almojanta”, onde fazemos um almoço tardio e um jantar mais cedo.

Funciona super bem e gera uma economia significativa.

6 / Leve lanches, faça compras no supermercado

Não importa se você vai ter estrutura e locais para comer durante o dia. Eu SEMPRE tenho lanchinhos na mochila. SEMPRE! Suquinho de caixinha, sanduichinho, frutas, nuts, bolachinha. Muita coisa levo de casa, outras compro no supermercado da cidade onde estamos hospedados, e ainda monto sempre uma lancheira no café da manhã. Muitos locais tem avisos que dizem que não pode. Eu nunca fui questionada. Sempre estou com as crianças e sinceramente não vejo problema nenhum em sair com algumas coisas do restaurante, para eles comerem durante o dia. Não vou sacrificar a alimentação dos meus filhos com frituras e alimentos desnecessários porque não posso pegar duas bananas e uma porção de pão de queijo para eles comerem quando sentem fome.

Muito do que gastamos com lanchinhos e petiscos em viagens é por falta de opção. Então, a opção eu sempre tenho, e se eles ficam com vontade de comer alguma coisa específica durante o dia, tá tudo certo. Porém, as crianças estão tão acostumadas, que sempre querem saber o que tem na lancheira…rs. Coisa de filhos de mãe que é a a loka dos lanches.

7 / Valorize as memórias construídas

Qual é o principal objetivo de uma viagem?

Comprar, comer, descansar, passear? Pra mim, mesmo contemplando esses itens, o principal que levaremos de uma viagem são as memórias construídas. Então, valorizando isso, você começa a filtrar onde realmente é necessário gastar dinheiro.

Precisa comprar lembrancinha pra todo mundo? Precisa comprar tudo que é típico do local para enfeitar sua casa? Precisa ir em todos os restaurantes mais caros? Precisa fazer passeio de helicóptero?

Enfim, cada família tem e estabelece suas prioridades. E isso varia muito de destino para destino. Mas valorize as memórias, e não as compras. Isso vai gerar economia e a viagem ainda assim será maravilhosa!

E então, gostaram das dicas?

Beijos – Mari

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.