Dicas para Viajar de Avião com Crianças e Evitar Estresse

Em nossa última viagem, para Foz do Iguaçu, tivemos um imprevisto com o voo de volta, o que ocasionou um atraso de mais de 5 horas no embarque! O aeroporto de Foz não é um aeroporto grande, com uma estrutura super completa como um Guarulhos da vida, por exemplo. Estávamos em 4 adultos, com 2 crianças, 6 malas de mão e mais um carrinho, em um aeroporto lotado, com gente sentada pelo chão, filas quilométricas na lanchonete, no banheiro, nos balcões de informações! No fim, apesar de cansativa, a espera não foi estressante como eu imaginava que poderia ser, e acredito que algumas providências e precauções nos ajudaram.

São precauções que também ajudam em situações em que tudo está sob controle, quando estamos viajando com crianças. Então, vou compartilhar dicas que acredito que sejam bacanas para quem vai viajar de avião com crianças.

Se for sair muito cedo para ir para o aeroporto, coloque as crianças para dormir já vestidas

Tem criança que acorda cedo numa boa, de bom humor, feliz da vida, o caso da Nina, por exemplo, e bem diferente do Yuri, que DETESTA ser acordado! E ninguém quer sair de férias e já começar o processo com choro e mal humor de criança que não quer levantar, não quer trocar de roupa, não quer colaborar certo?

Nessa viagem em específico eu trabalhei no dia anterior e quando cheguei em casa as crianças já estavam prontas para dormir, de pijama. Porém, quando eu organizo as coisas, se precisamos sair muito cedo para o aeroporto, já coloco a roupa que as crianças usarão no dia seguinte para elas dormirem, que sempre é uma roupa confortável. Isso ajuda muito, pois não preciso acordar ninguém. Se eles ainda estão dormindo levamos no colo, levamos o leite e o café da manhã na bagagem de mão (item seguinte), e quando eles acordam, seja no percurso, seja na chegada no aeroporto, tomam o leite, comem, escovam os dentes, trocam a fralda.

Não se desgaste em querer cumprir a rotina diária se precisa sair de casa as 5 da manhã (meu caso hoje, quando embarcaremos para o Paraguai)…rs. Respeite o tempo das crianças, elas não entendem esse negócio de horários de check-in, isso é coisa de adulto.

Deixe uma lancheira e uma necessaire pronta no dia anterior

Fralda descartável (quando necessário), escova e pasta de dente, uma escova de cabelo. O básico para a higiene matinal que por ventura não seja feita em casa. Normalmente há um tempo de espera entre o check-in e o embarque. Uma parada rápida no banheiro ou em um cantinho resolve tudo. As pastas sem flúor, que podem ser engolidas, e as fraldas de vestir são as melhores opções, pois você pode resolver tudo em qualquer espacinho mais escondido que encontrar, sem precisar esperar sua vez no banheiro.

Aqui as crianças acordam com fome. Tomam leite e logo querem um lanchinho, quando não fazem dois lanches antes do almoço, se esse demorar para acontecer. Normalmente uma térmica com a alimentação das crianças é permitida tanto em voos nacionais como internacionais. Sanduichinhos, uva sem semente, banana, suco de caixinha, polvilho, bolacha, leite fermentado, castanhas, frutas secas, barrinha de cereais, bolo, são opções fáceis de comer, que não precisam de talher e que você pode oferecer facilmente no percurso do aeroporto, na fila do check-in, na espera do embarque, no avião.

A espera para a decolagem depois que embarcamos, especialmente porque embarcamos entre os primeiros passageiros, na prioridade, pode ser demorada. A Nina e o Luli adoram abrir a mesinha do avião e fazer um lanchinho durante essa espera.

Considere em sua lancheira quantidade suficiente para ser consumida durante o voo e um saldo reserva, para uma emergência como a que passei, onde a espera pela chegada na fila da lanchonete pode não ser agradável para crianças pequenas. Algumas companhias aéreas já não servem mais nada que não seja pago durante os voos para trechos curtos, e as opções para compra não são grande coisa, então, eu sempre prefiro ter as coisas que as crianças gostam e estão acostumadas a consumir.

Não deixe de levar o carrinho

Não importa se a criança usa pouco, até uns 5 – 6 anos de idade eu considero o carrinho importante. Em aeroportos grandes a criança pode sentar se cansar de andar, ele pode ser levado até a porta da aeronave, quando a criança não está sentada pode comportar as malas de mão, pode ser usado para um cochilo em caso de imprevistos, auxiliar  no momento de pegar as malas na esteira. Eu acho item imprescindível!

Olha a segunda foto, com a Nina tirando um super sono no carrinho com as pernas apoiadas em uma cadeira, já que ela não cabe mais deitada no assento. Foi a salvação para as minhas costas, que não precisei ficar segurando ela dormindo.

Leve uma mala de mão espaçosa, não “entulhe” seus pertences no carrinho

O carrinho precisará ser passado no RaioX fechado, então não vale a pena encher os compartimentos e cestos de coisas que precisarão ser retiradas e te darão um trabalhão! O mesmo acontecerá na porta da aeronave, quando você precisará fechá-lo. Então, leve uma boa mala de mão!

Leve itens para distração

Muita criança se distrai com tablets, mas se você não estiver totalmente prevenido com a possibilidade de manter a bateria sempre carregada (não é todo aeroporto que vai ter tomada fácil), tenha outros itens para distrair as crianças (livro de pintura, adesivos, algum brinquedo fácil de levar). Criança entediada é criança manhosa, e em locais públicos e possíveis imprevistos não vai te ajudar em nada.

Inclua na mala de mão mantinha e travesseiro

Mesmo que a companhia aérea forneça, normalmente as crianças se sentem mais confortáveis com as suas coisas, sem contar que elas ficam bem mais confortáveis em casos de cochilarem no carrinho. Eu sempre levo, e os dois se aconchegam super bem com suas coisinhas, sem contar que se for uma mantinha leve e um travesseiro pequeno, é fácil de carregar e não ocupa quase espaço.

Tenha fraldas descartáveis na bolsa, mesmo que seu filho já esteja desfraldado

Essa dica pode parecer estranha, mas em situações de emergência já usei fraldas com a Nina. Uma vez ela estava muito apertada e não tínhamos banheiro no local, e em outra ocasião a fila do banheiro estava enorme e ela não aguentava esperar (fora as situações em que o banheiro está imundo!). Me escondo com ela em algum cantinho, coloco a fralda e ela faz xixi. São situações realmente emergenciais. Ela acha engraçado e eu acho melhor do que correr o risco de ter que limpar um escape em uma situação emergencial. Por conta do Luli sempre tenho fralda na bolsa, mas é uma dica que acho bem valiosa e que você vai se arrepender de não ter lembrado quando precisar…rs.

Seja gentil com os comissários (você e seus filhos)

Em uma situação de apuro no voo, uma possibilidade de assentos livres que te deixe mais confortável com as crianças, uma bebida fora de hora, uma demonstração extra de máscaras de oxigênio simulando um teatro (um comissário sugeriu que se eu quisesse ele faria para as crianças… falei que não era necessário, mas achei o máximo!)… você demonstrar educação, gentileza e simpatia, desde a entrada da aeronave, pode te ajudar muito em caso de necessidade.

Esqueça constrangimentos em função do comportamento das crianças

Ninguém compra passagem de avião com a condição: não quero crianças por perto. Em alguns voos nossos filhos estarão entre os únicos, em outros serão mais um na multidão…rs. Para quem se incomoda com choro, risadas, vozes falando alto com perguntas sem fim, sinto muito. Você se sentir constrangida por comportamentos normais a uma criança vão tornar seu percurso desgastante e estressante. Criança é criança. Claro que existem situações e comportamentos que não são aceitáveis, mas boa parte é inerente a eles e tentar controlar pode só piorar a situação. Por isso a próxima dica.

Escolha os motivos pelos quais vale a pena chamar atenção

Não chame atenção por tudo e a todo momento. Vai ser estressante para a criança e para você. Um avião não é um local comum para crianças (pelo menos para as minhas não é…rs), e eles são curiosos, querem mexer, querem olhar quem está na frente, do lado, atrás. Sinta o ambiente, observe os passageiros ao seu redor. Alguns são solícitos, gostam de crianças e serão ótimas “babás” durante o voo cuidando do entretenimento dos seus filhos…rs. No nosso voo de volta de Foz uma menina de 10 anos na poltrona da frente brincou com eles o voo inteiro, e um moço no assento de trás ensinou a Nina falar espanhol em boa parte do voo. Se eu tivesse podado os dois logo de cara, quando estavam tentando olhar quem eram as pessoas entre os vãos da poltrona, eles não teriam um voo tão divertido como foi.

Se perceber que a pessoa não é receptiva, tente controlar conversando, distrair com brincadeiras como contagem regressiva para a decolagem e pouso (faça quantas vezes for necessário, eles adoram as repetições, por mais chato que isso pareça para você), leve para dar uma volta pelo corredor, conhecer o banheiro, ver as comissárias no fundo do avião (a Nina adora), aproveite esse momento como algo prazeroso e uma experiência bacana para vocês.

Tente descansar na noite anterior, não espere que vá dormir na viagem

Se você conseguir dormir, ótimo! Bom pra você…rs. Eu, até hoje, não consegui dormir em voos com as crianças junto comigo. Ou elas estão acordadas demandando algo ou sendo “fiscalizadas” (rs), ou estão dormindo e eu estou tensa se vão acordar, se vão cair da poltrona, se estão bem acomodados.

Sabe aquele negócio de que as grandes frustrações vêm de altas expectativas? Pois é, não crie expectativas de que vai descansar no voo, porque se ainda assim dormir, certamente estará toda torta. A não ser que você esteja na classe executiva meu bem, no caso, fora das minhas possibilidades atuais.

Espero que tenham gostado do post! E se tiverem mais dicas, compartilhem comigo também!!!!

Beijos – Mari

Deixe seu comentário

1 comentário

  1. Elaine Xavier de Souza comentou:

    Amei esse post, Mari! Vou fazer minha primeira viagem internacional com meus filhos no final do mês e estou “caçando” todas as dicas sobre o assunto!
    Se tiver mais post sobre viagem eu agradeço!
    Bjs!