Sítio do Pica Pau Amarelo Mairiporã: Espaço Temático

Quem me acompanha no Instagram viu que passamos o último feriado no Sítio do Pica Pau Amarelo, um espaço temático localizado pertinho de São Paulo, em Mairiporã.

Foi uma experiência FANTÁSTICA, de dias que, especialmente a Nina, guardará para sempre na memória!!!! Digo especialmente a Nina porque o Luli não lembra das coisas por muito tempo (rs), mas também aproveitou muito e se divertiu como eu não imaginaria que ele se divertiria!

A principal proposta do Sítio é a experiência de viver como se fizesse parte de uma história, interagindo com os personagens e passando pelas estações que nos fazem sentir que estamos realmente no Sítio do Pica Pau Amarelo. E isso tudo com a companhia dos pais, que estão o tempo todo com a criança. Não é aquele local que você deixa os filhos com a recreação e vai descansar, muito pelo contrário, você anda pra cima e pra baixo o tempo todo, e é convidado a todo momento para interagir e participar das atividades propostas.

Nós participamos do primeiro acampamento familiar organizado no local, que durou quatro dias. Mas também é possível passar somente um final de semana, ou ainda somente o dia. Para qualquer uma das opções é necessário verificar no site do local, ou por e-mail (sitio@sitiodopicapauamarelosp.com.br), qual é a programação e fazer a reserva, pois não são vendidos ingressos no local.

As informações estão muito frescas na minha cabeça, então quero compartilhar tudo com vocês. Vou então dividir o post contando qual foi a programação que tivemos dia a dia, e vou fazendo minhas observações.

Dia 1 – Chegada no Sítio (quinta-feira)

Chegamos na quinta-feira, feriado de Nossa Senhora de Aparecida e Dia das Crianças, data em que o sítio estava aberto também ao público. A programação começou pela manhã, por volta das 10h, mas chegamos somente no horário do almoço. O público que passa somente o dia não tem café da manhã, somente almoço e lanche da tarde, mas quem estava no acampamento foi recepcionado com café da manhã também.

Os visitantes são divididos em turmas que são acompanhadas pelos monitores, e o passeio pelo sítio passa pela interação com todos os personagens, com a busca pelas engrenagens da máquina de livros do Visconde que, a princípio, o Saci pegou.

Nós perdemos as interações que ocorreram pela manhã, por conta do horário que chegamos, mas como estivemos lá por mais tempo, pudemos viver uma outra história no sábado.

Há uma pausa para o almoço, onde os visitantes são organizados em grupos nas mesas de um grande refeitório, e conforme finalizam a refeição vão para uma roda de música com a Narizinho e o Pedrinho, até que tudo esteja organizado para o passeio continuar.

A refeição é ao estilo caipira, com arroz, feijão, carne, frango, macarrão, salada fresquinha da horta, na sobremesa fruta, doce de leite, doce de abóbora, gelatina. Uma delícia! Bem simples, mas muito saboroso!!!!! O único ponto que acho que fica a desejar é o suco servido nas refeições (inclusive para quem fica no acampamento), que é artificial e muito açucarado. Só para passar o dia acho ok, mas para nós, que ficamos quatro dias, as crianças consumiram suco em excesso, principalmente porque estava muito calor!!!!! Tinha também água aromatizada e, para quem quisesse, refrigerante, cerveja e água vendidos a parte, além de galões de água distribuídos por diversos pontos.

Há também uma lanchonete com algumas guloseimas. Mas para quem é mais restrito com alimentação, recomendo levar lanchinhos de casa.

Após o almoço o passeio e interação com os personagens tem continuidade. Visitamos a casa da Dona Benta, que recepciona as crianças com um delicioso abraço e um sorriso no rosto, com direito a história contada na varanda, a aprender a receita dos bolinhos de chuva da Tia Anastácia, e ainda poder saboreá-los com café fresquinho!

Sala

Quarto da Dona Benta

Quarto da Narizinho

Quarto do Pedrinho

Banheiro

Cozinha e os deliciosos bolinhos de chuva!

Também passamos pelo Reino das Águas Claras, e presenciamos a caça ao Saci na frente da casa da Dona Benta. Uma aventura muito engraçada e animada!

O passeio é encerrado com um teatro, onde o mistério das engrenagens da máquina do Visconde é desvendado. Acontece uma sessão de fotos com os personagens no próprio palco, muito bem organizado pelos monitores, em paralelo com o lanchinho da tarde, que normalmente tem bolo, pipoca, cachorro quente, suco e água. No acampamento também tivemos sanduíches de patê de frango, biscoitos água e sal, cuscuz, milho cozido.

A turminha do acampamento!

Os visitantes que passam o dia vão embora após esse lanche e recebem um livro de recordação. Durante todo o dia há uma equipe de fotos,que vende bonecas da Emília, fotos, canecas e lancheiras para quem quer levar as lembranças.

Após o retorno dos visitantes o pessoal do acampamento foi liberado para um período de descanso até o jantar.

A área do acampamento é separada do sítio temático e tem um parquinho grande bem em frente aos quartos, onde as crianças brincaram MUITO! Se elas não estavam com os monitores, estavam brincando no parquinho.

Os quartos são divididos por família, mobiliados com beliches, com um banheiro em cada quarto. Há também a opção de conjugar os quartos para grandes grupos. Não há serviço de quarto, então é necessário levar roupa de cama e de banho. Achamos os colchões muito duros, e fizemos essa observação. Outro ponto que também foi um pequeno inconveniente foi o chuveiro, que demorava para esquentar e oscilava a temperatura durante o banho muitas vezes.

Porém, a nossa expectativa não era de hospedagem, mas sim da experiência do sítio, o que foi mais do que atendido!!!!! De qualquer forma, para quem valoriza a questão de hospedagem, é bom estar ciente de que não há luxo. Não tem TV nos quartos, há ventiladores de teto, o que, para nós foi suficiente e nem chegamos a ligar durante a noite, já que o local é muito arborizado e a noite o quarto ficava em uma temperatura agradável.

Nesse primeiro dia jantamos no refeitório do acampamento, e as crianças tiveram uma caça à canastra do Rabicó, que ao final da noite apareceu, interagiu com as crianças e os presenteou com os presentes que sua esposa, a Emília, enviou no baú – livrinhos, caixinhas de roda de trator para os meninos, e coroas de princesas para as meninas.

Dia 2 – Passeio na Cachoeira com o Pedrinho (sexta-feira)

O segundo dia começou com o café da manhã, que é simples e delicioso! Tem dois tipos de pães, presunto, queijo, bolo, leite, café, fruta e suco. Tudo fresquinho e bem feito.

O café da manhã é servido a partir das 8h30, só que por aqui as crianças levantam muito antes disso…rs. Levei alguns lanchinhos que não precisam de geladeira (banana, pêra, bolachinhas, bolinhos caseiros…), já que não tem frigobar no quarto, e quando eles acordavam eu dava alguma coisinha para eles beliscarem antes de irmos para o café da manhã, além do leite em pó do Yuri.

Nesse dia aproveitamos a espera do café da manhã e fomos dar uma volta no sítio, que é lindo!

Depois do café da manhã encontramos o Pedrinho e fomos fazer um passeio na cachoeira. As crianças nunca tinham ido a uma cachoeira, e eu fiquei super feliz em proporcionar essa experiência a eles! Esse contato direto com a natureza é algo que eles não têm de forma tão intensa, e poder proporcionar essas experiências foi muito gratificante!

Na volta da cachoeira tivemos um tempinho na piscina do acampamento e as crianças foram colher a alface do almoço com a Tia Anastácia. Nesse dia as crianças tiveram ovos cozidos decorados, a coisa mais fofa!

No período da tarde o Pedrinho participou com as crianças de uma oficina para fabricar Narizinho.

Após o jantar as crianças fizeram a caça à Cuca, que se tornou amiga de todo mundo, ao ficar lindona com vestido, coroa, e acessórios trazidos pelas crianças.

Dia 3 – Nova vivência no Sítio (sábado)

Após o café da manhã, as crianças tiveram bastante tempo livre para brincarem no parquinho. Olha a cara de felicidade do Luli! Para quem passa somente o dia no sítio, não tem o tempo para brincar no parquinho e ir na piscina, por exemplo, algo que as crianças amaram! Como o parquinho era em frente à área dos quartos do acampamento, eles passaram muito tempo brincando por ali.

Quando todos terminaram o café da manhã, fomos alimentar os primos do Rabicó. Luli pirou!

No sábado o sítio estava aberto ao público novamente, mas a vivência do público é a que já tínhamos vivido na quinta-feira. Então, depois das atividades acima, vivemos uma nova história, dessa vez, em busca do livro mágico que Dona Benta havia perdido. As crianças interrogaram todos os personagens do sítio, já que todos eram suspeitos! Durante os interrogatórios, visitamos vários lugares lindos e mágicos do sítio!

Tio Barnabé

Cuca e Saci

Dona Aranha

Pedro Malasarte

Narizinho

Biblioteca do Visconde

Laboratório do Visconde

Desafios do Minotauro

Sala da Emília

O ponto alto desse passeio, que foi uma “regalia” de quem estava no acampamento, foi o café da tarde na sala da Dona Benta. Chegamos à casa dela para contar que não havíamos encontrado o livro mágico, e em meio a conversas e histórias, tia Anastácia nos serviu um delicioso lanche!

Depois, aconteceu a caça do Saci, dessa vez em outro cenário, e o teatro, o mesmo da quinta-feira.

Após o jantar tivemos música na fogueira, com o Pedro Malasarte, mais uma experiência nova e incrível para as crianças!!!!!

Dia 4 – A despedida (domingo)

O domingo amanheceu bem frio. Mas isso não atrapalhou a diversão!

Após o café da manhã, enquanto tirávamos algumas fotos com o grupo do acampamento, fomos surpreendidos pelo Caipora, o protetor da floresta, que nos levou a um passeio de barco pelo Reino das Águas Claras para nos contar sua história.


Na volta todos foram presenteados com um amuleto da sorte depois de uma divertida brincadeira de pega pega com o Caipora.

Comemos pitanga, cereja e jabuticaba direto do pé!

Almoçamos e durante a tarde as crianças brincaram e tiveram uma oficina para fazer seu próprio visconde com um sabugo de milho.

Tomamos o lanchinho e nos despedimos desses dias mágicos e inesquecíveis!

A querida Tia Bombom, que nos acompanhou durante os quatro dias

Considerações Finais

Acho que vocês puderam perceber que o passeio foi incrível né? Ter participado do acampamento nos trouxe uma experiência muito mais rica do que se tivéssemos passado apenas um dia. Tivemos algumas experiências que não são proporcionadas a quem vai somente para uma visita, as brincadeiras no parquinho, a piscina, o passeio de barco, a cachoeira, a fogueira… porém, a vivência no sítio, com os personagens, é o ponto alto do local, então vale a pena a visita, nem que seja somente para o bate e volta mesmo.

Para os dias quentes, como foram os que passamos por lá, é bom levar protetor solar, água e boné, porque é MUITO CALOR! E é o dia inteiro andando pelo sítio, no sol. Tem as paradas nas sombras, nos cenários, mas é bem quente.

Eu não usei repelente nenhum dia. Apesar do local ter muito verde, não vi muito bichinho.

Para quem vai com carrinho, todo o sítio tem rampas, então dá para andar com carrinho tranquilamente. De primeiro momento me arrependi de não ter levado o do Luli, depois achei ótimo, porque ele pôde andar bastante durante o dia e todas as tardes, depois do almoço, tirou um longo cochilo no quarto com o papai.

E finalmente, o sítio não é lugar para os pais descansarem (rs), é um lugar para estimular a convivência familiar. Não tem recreação para deixar as crianças e ir ficar de pernas pro ar, é para estar junto, brincar junto, viver aqueles momentos juntos, algo que os grandes resorts não nos proporcionam. É um outro tipo de experiência, a qual amei, mesmo amando todo o conforto que temos quando estamos em hotéis mais “sofisticados”.

Se eu voltaria? COM CERTEZA! Quem toparia um final de semana de seguidoras queridas no sítio???? Quem tiver interesse me diz se no mês de férias seria uma boa que vou organizar essa bagunça!!!!

Beijos – Mari

Deixe seu comentário

5 comentários

  1. Georgia comentou:

    Super topo um fds no sítio!!!

  2. Ana Glaucia comentou:

    Oi Mari! Eu já fui só para um dia. Mas lendo tudo agora, acho Que os meus topariam super ainda, acho que a Lu está no limite da idade. Fazemos muitas atividades in Natura com eles, vaogoatar certeza. Se rolar algo pro carnaval pra mim Seria melhor, pois próximo ferido e férias já estão comprometidos .
    Senti falta de algum comentário sobre valores no post.

    1. Eu sei que eles estão programando um acampamento de 5 dias em janeiro, mas ainda não tem data. Talvez tenha para o carnaval também. Os valores do dia tem no site. O acampamento dos 4 dias, se não me engano pagamos 800 reais por pessoa o período todo, com yuri de grátis. E aí teve um desconto no fechamento de tudo. Eu achei que valeu bem a pena!

  3. Carlota comentou:

    Ótimo post!! Topo um fds de seguidoras, seria perfeito!