Eu, Você, Dois Filhos e… 13 Anos!

13 anos do nosso primeiro encontro, o encontro real, porque tivemos dois meses de encontros virtuais que antecederam o primeiro “cara a cara”. Você veio de SP, percorreu muitos quilômetros para me ver. Depois descobri que sua mãe achava que “isso não ia dar em nada”…rs. Até parece que você iria ir e voltar para o interior para namorar. Não ia nem na casa da ex-namorada que era no bairro do lado…

Minha sugestão foi um restaurante de truta, que nunca mais voltamos… mas é inesquecível quando você me perguntou se a minha batata estava doce… quando nos demos conta, você havia temperado a sua com adoçante. Nervoso do primeiro encontro? Hoje tenho certeza que não, que era só uma das suas características mais marcantes sendo demonstradas, logo de cara, esse jeito meio desligado de ser, que nosso pequeno menino vem demonstrando ter herdado, e que de início eu achava fofo, e hoje acho irritante, confesso…rs. O que os anos fazem com a relação né?

E dessa forma meio “desligada”, nosso dia hoje começou como qualquer outro. Na verdade, logo que acordei, não lembrei de cara da data. Estava com muito sono! Ontem trabalhei até tarde da noite, e as crianças me acordaram muito cedo. Meu corpo queria mais descanso. Você também não lembrou quando acordou e eu já fui te abordando com o pedido de um favor, que você não negou. É, eu preciso reconhecer. Por mais chatos e inconvenientes que sejam, por mais que às vezes você me faça achar que não me ouviu, dificilmente você nega os meus pedidos de favor.

No fim eu fiz o que tinha te pedido. Me arrependi de ter pedido, porque tenho essa mania né? Você sempre diz. Eu peço coisas que podia eu mesma fazer. Mas sei lá, vai ver que inconscientemente é uma forma de ter certeza que você se importa comigo. Como se você deixasse dúvidas sobre isso.

Mas tudo bem, não tivemos atritos por isso e fui preparar o café da manhã. Você achou que eu estava meio emburrada porque você não lembrou logo de cara do nosso aniversário. Mas não, acho que era sono mesmo, misturado com os hormônios da tão conhecida por você, minha TPM, que hoje em dia já não faço mais esforço para esconder.

O recordei sobre que dia era hoje, e nos abraçamos, sem dizer nada. Passamos assim por alguns segundos, em um abraço carinhoso, de respeito, sem ter muito o que dizer… eu estava com sono, e você também… sussurrei no seu ouvido um “Te Amo”, e você correspondeu.

Sim, nós nos amamos, e mesmo que o dia não tenha começado diferente de qualquer outro, mesmo que não tenhamos programado nenhuma comemoração especial, é o nosso dia, é o dia que marca o início da nossa união, o encontro que escolhemos fazer durar, e que trouxe os frutos mais preciosos às nossas vidas.

Enquanto tomávamos café da manhã, que não tinha nada de diferente do café de todos os dias, talvez até com menos variedade do que normalmente temos, você elogiou, como sempre faz, dizendo: que capricho amor! Há 13 anos você elogia tudo que coloco à mesa, e eu posso não dizer isso com frequência, mas isso me deixa tão feliz!

E entre atender as demandas dos nossos filhos, sei que o que passava em nossas mentes, enquanto tomávamos nossa vitamina de abacate, que você gosta tanto, e que nos últimos tempos turbinei com chia para aumentar o valor nutritivo, era o mesmo: que família linda construímos! E você verbalizou, você me disse: olha os nossos tesouros, olha os frutos do nosso amor.

Sim, esses são nossos frutos. E sabemos que eles irão amadurecer, que irão se soltar de nossos galhos, que irão ganhar asas, irão desvendar o mundo por si só, e aí seremos só nós dois, como era no começo, como foi durante 8 anos. E graças a Deus que estamos tendo maturidade para lidar com esse período, em que somos quatro, em que ser dois às vezes parece ser tão secundário, porque dois realmente não existe mais. Existem momentos a dois, mas não somos mais só nós dois.

Como nossa vida mudou, como nossas prioridades mudaram, como nossa disposição  mudou, como nosso nível de tolerância mudou. E aprendemos juntos, cada um agregando o que tem de melhor ao outro, como lidar com tudo isso. Não somos um casal de comercial, de novela, de cinema, somos nós! Um casal que se ama, que se desentende às vezes, mas que sabe voltar atrás, sabe reconhecer, com mais ou menos dificuldade, depende da situação, que o outro pode ter razão.

Ah como eu aprendi com você! Ah como eu aprendo com você! Até mesmo o seu jeito desligado de ser me ensina. Me ensina a ser mais leve, me ensina a fazer o que me dá prazer, me ensina que não dá para abraçar o mundo… tá bom, às vezes eu esqueço dessas coisas que aprendo, mas depois eu lembro, e quando eu não lembro, você me lembra!

Como te disse, no dia do nosso casamento, “obrigada, por entre tantas nesse mundo, ter me escolhido!”.

Estou te esperando em casa, para seguirmos com nosso final de dia, com o banho das crianças, o leite, o desenho (de quem mesmo que é o direito de escolher hoje? Da Nina ou do Luli?) o lembrete de “amoooooor, não tá na hora deles irem dormir?”, e depois um delivery, mas hoje não precisa ser pizza tá? rs

TE AMO! Que os próximos 13 anos sejam bem-vindos!

www.tatipugliese.com.br

Deixe seu comentário

8 comentários

  1. Giovanna Ferrari comentou:

    Que texto/declaração linda Mari. Felicidades, e muito amor na união de vocês, sempreee!
    Beijosss

  2. Carol maranho calesco comentou:

    Lindo!!!
    Você sempre me emociona!!!
    Muito amor e benção de Deus sempre!!!

    Amanhã também completo 9 anos de oficialmente casada e no dia 30 comemoramos 15 anos morando juntos💗

  3. Bianca comentou:

    Que Lindo!!! Que Deus abençoe mais e mais essa União! Bjs

  4. ELEN comentou:

    Ah Mari q lindo…chorei…me emocionei….vi um pco de mim…um pco de meu japa…um pouco de nossa tumultuada vida à 4 …
    Mas o que quero dizer é q Deua abençõe sua união sempre…com mto mais amor, paciencia, cumplicidade, alegrias, saúde e varios vale nights…..kkkk
    Bjs