10 Livros que Li e Gostei

Antes de ser mãe, e durante um tempo, depois que a Nina nasceu, eu tinha o hábito da leitura, muito incentivado pelo Rodrigo, que desde criança sempre leu MUITO! Nunca fui daquelas que lia mais de um título ao mesmo tempo. Gostava de começar um e terminar. Alguns eu começava e não terminava, nunca tive muita persistência de esperar que o livro ficasse bom. E esse é um hábito que sinto bastante falta, e cada vez mais tenho tido vontade de retomar.

Ontem mesmo passei bastante tempo na livraria, e vi muita coisa bacana. Então me deu a ideia de vir compartilhar com vocês 10 livros que já li e gostei, alguns há muitos anos, outros mais recentemente e que, em diferentes fases da minha vida, me trouxeram algo de bom, nem que tenha sido somente o do prazer da leitura.

Estou também fazendo uma listinha dos próximos títulos que quero ler, e se vocês puderem me ajudar, deixando dicas nos comentários ao final dos post ou nas redes sociais, vou agradecer!

A lista abaixo é bem eclética. Eu não tenho um estilo de leitura definido, um autor que ame de paixão, um tipo de história específico. Gosto, como disse mais acima, de livros que prendam a minha atenção logo de cara, que me envolvam, que me façam querer ler sempre que tenho um tempinho livre, tempo esse que foi sento tomado pelo vício da internet e redes sociais :-(

Talvez alguns desses títulos, se eu ler hoje, pode não fazer mais muito sentido. Mas de qualquer forma, trago para vocês conhecerem. Tentei deixar a lista organizada do último para o primeiro que li nos últimos anos.

Alguns deles têm filme também, mas dificilmente eu consigo achar o filme melhor que o livro, que sempre traz uma riqueza muito maior de detalhes!

Todas as descrições dos livros são do site da Saraiva.

1 Que Falta você me Faz – Harlan Cobem

Dezoito anos se passaram desde que a detetive Kat Donovan sofreu as maiores perdas de sua vida: a morte do pai e o fim do relacionamento com o noivo. Foram dois acontecimentos muito bruscos que ela ainda não conseguiu superar totalmente, mas, no dia a dia, prefere não pensar muito nisso.

Contudo, de uma só vez, essas duas feridas voltam a se abrir. Ao saber que o assassino de seu pai será executado, Kat resolve ter uma conversa com ele para esclarecer o caso. Mas o homem nega a autoria, dizendo que foi obrigado a confessar o crime, e ela acaba ficando com mais dúvidas.

Ao mesmo tempo, a detetive é procurada por um garoto que acredita que a mãe está desaparecida. Sem entender por que o adolescente insiste que ela, e não um outro policial, investigue o caso, Kat descobre que o sumiço está relacionado a seu ex-noivo e a um site de relacionamentos.

Lidando com dois casos simultâneos, ela decide seguir em frente com as investigações, mesmo que todos ao seu redor tentem dissuadi-la disso. Determinada, Kat trabalha segundo suas emoções, e a intuição lhe diz que ela não deve desistir.

Neste livro, mais uma vez Harlan Coben trata de perigos e riscos que podem estar mais próximos da nossa realidade do que se imagina. O resultado é um romance instigante que traça um cenário verossímil e impactante, fazendo um alerta para ameaças atuais que rondam nosso mundo virtual.

2 O Castelo de Vidro – Jeannette Walls

A capa desse livro mudou. Essa da imagem é a que tenho.

“Filha, a gente não tem dinheiro para o presente, mas escolhe uma estrela no céu, e fica com ela pra toda a vida.” Todo mundo pode dar uma segunda chance à vida. Em suas memórias, a jornalista e escritora Jeannette Walls nos mostra, sem pieguices e respostas fáceis, que tudo na vida é mesmo relativo, que as adversidades podem ser vividas com leveza, somando aprendizado e grandeza às nossas biografias.

3 Ensaio sobre a Cegueira – José Saramago

Um motorista parado no sinal se descobre subitamente cego. É o primeiro caso de uma ‘treva branca’ que logo se espalha incontrolavelmente. Resguardados em quarentena, os cegos se perceberão reduzidos à essência humana, numa verdadeira viagem às trevas.

O ‘Ensaio Sobre a Cegueira’ é a fantasia de um autor que nos faz lembrar ‘a responsabilidade de ter olhos quando os outros os perderam’. José Saramago nos dá, aqui, uma imagem aterradora e comovente de tempos sombrios, à beira de um novo milênio, impondo-se à companhia dos maiores visionários modernos, como Franz Kafka e Elias Canetti. Cada leitor viverá uma experiência imaginativa única. Num ponto onde se cruzam literatura e sabedoria, José Saramago nos obriga a parar, fechar os olhos e ver. Recuperar a lucidez, resgatar o afeto: essas são as tarefas do escritor e de cada leitor, diante da pressão dos tempos e do que se perdeu: ´uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos´.

4 O Caçador de Pipas – Khaled Hosseini

A capa também mudou. Essa da imagem é a do que tenho em casa.

O romance narra a tocante história da amizade entre Amir e Hassan, dois meninos que vivem no Afeganistão da década de 1970. Durante um campeonato de pipas, Amir perde a chance de defender Hassan, num episódio que marca a vida dos dois amigos para sempre. Vinte anos mais tarde, quando Amir está estabelecido nos Estados Unidos, após ter abandonado um Afeganistão tomado pelos soviéticos, ele retorna a seu país de origem e é obrigado a acertar as contas com o passado.

5 O Menino do Pijama Listrado – John Boyne

Mais um título antigo, que também mudou a capa.

Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz ideia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.

Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

6 Quem Ama Educa – Içami Tiba

Este livro tem o objetivo de devolver para a família a responsabilidade de educar os filhos, hoje atribuída à escola, dada a nova dinâmica familiar e profissional da sociedade ocidental.

O autor se propõe a ajudar os pais nessa empreitada reforçando a importância de valores e atitudes como limites e diálogo. Ressalta também que os pais devem se sentir tranquilos em relação à educação dada a seus filhos na medida em que lhes transmitem a responsabilidade pela própria felicidade dando-lhes a autonomia de que eles certamente precisarão na vida adulta. Por fim, fica marcada a ideia de que os pais têm de garantir uma boa educação, que fizeram à sua parte da melhor maneira e assim contribuir para que seus filhos sejam felizes.

7 Freakonomics – Steven D. Levitt e Stehpen J. Dubner

Nenhum livro permaneceria por 2 anos na lista de Best-sellers do The New York Times se não fosse realmente um fenômeno capaz de revolucionar a forma que pensamos o mundo.

Quando lançado, em 2007, foi simplesmente considerado o Melhor Livro do Ano por veículos e entidades de grande prestígio, como a The Economist, a New York Magazine, o The New York Times, a Amazon.com e a Barnes & Noble. Essa edição revista e melhorada traz mais conteúdo: O artigo publicado na revista do The New York Times, escrito por Stephen Dubner sobre Steven Levitt, que gerou a ideia deste livro; Sete colunas “Freakonomics” publicadas na revista do The New York Times; Mensagens selecionadas no blog Freakonomics. Uma leitura imperdível para quem ainda não conhece os conceitos que viraram o mundo dos negócios de cabeça pra baixo.

8 Comprometida – Elizabeth Gilbert

A viagem de Elizabeth Gilbert em Comer, Rezar, Amar atraiu mais de sete milhões de leitores pelo mundo. Comprometida conta a história do que a autora descobriu depois.

Entre as mulheres hmong, na Ásia, não existe a ilusão de que seus maridos serão fonte principal de felicidade. Até 1215, para duas pessoas casarem na Europa, bastava que fossem adultas e trocassem votos em voz alta e por vontade própria. O casamento romântico, com vestido branco e véu, é uma novidade criada pela rainha Vitória em 1840.

O que é casamento hoje, por que nos atrai, e como podemos fazer as pazes com essa instituição conturbada e vital?

9 Elite da Tropa – Luiz Eduardo Soares, André Batista, Rodrigo Pimentel

Também mudou a capa.

Na primeira parte do livro, concentram-se relatos impressionantes sobre o cotidiano dos policiais de elite. Na segunda, um dos nossos personagens seguirá numa trama envolvendo autoridades de segurança, traficantes, políticos e policiais – uma rede que tece alianças improváveis entre os vários atores deste cenário. Depois de cavalgar 100 quilômetros, sem arreio e sem descanso, mortos de fome e sede, eles têm licença para um descanso brevíssimo até que alguém anuncie que a comida está servida – sobre a lona, onde o grupo exaurido vai se debruçar para comer tudo o que conseguir, com as mãos, em dois minutos. Esta é apenas uma das etapas de treinamento da tropa de elite da polícia. Eles obedecem a regras estritas, as leis da guerrilha urbana. Na dúvida, mate. Não corra, não morra. Máquinas de guerra, eles foram treinados para ser a melhor tropa urbana do mundo, um grupo pequeno e fechado de homens atuando com força máxima e devastadora.

10 Por um Fio – Drauzio Varella

Um livro muito marcante pra mim! Para quem não sabe, eu e Rodrigo nos conhecemos pela internet, e esse foi o primeiro presente que ele me deu, no dia em que nos conhecemos pessoalmente (que amooooooooooooooooooor!).

Nas histórias reais de ‘Por Um Fio’, o médico e escritor Drauzio Varella mostra como a perspectiva da morte pode revelar um inesperado sentido para a vida.

E então, quais da listinha vocês já leram? Também gostaram? E quais vocês indicariam para eu ler?

Beijos – Mari

Deixe seu comentário