Dia das Crianças no Japão – O que podemos aprender

Enquanto fazia o calendário editoria do blog do mês de outubro, estava pensando e procurando inspirações para um post sobre o Dia das Crianças. Comecei a fazer pesquisas em sites de busca e praticamente tudo que remetia a esse tema estava relacionado aos presentes para as crianças nessa data. E aí eu fiquei me questionando sobre qual seria o significado dessa data. Será que precisa mesmo ter um dia específico para que a principal razão atrelada seja ganhar brinquedo? Começou me bater um certo incômodo.

Descobri que, no Brasil, a data foi criada meio com esse intuito mesmo. A data foi estipulada na década de 1920. O deputado federal do Rio de Janeiro, Galdino do Valle Filho, conseguiu a aprovação da lei, em 1924, que instituía o dia 12 de Outubro como o Dia da criança, mas não encontrei muito que dissesse sobre o intuito dessa lei. Então, até a década de 1950 a data passou batido, quando quando houve uma campanha de marketing da empresa de brinquedos Estrela, que usou a data para promover sua linha de bonecas de nome “Bebê Robusto”.

Não fiquei satisfeita com as informações (rs), e fui pesquisar como é o Dia das Crianças no Japão, uma cultura que admiro muito. Achei tão interessante que resolvi abordar nesse post com vocês.

No dia 5 de maio é comemorado o Dia das Crianças (Kodomo no hi) no Japão. O feriado nacional é parte do Golden Week (semana de feriados sequenciados, como se fosse nossa Semana do Saco Cheio) e celebra o crescimento saudável e a felicidade das crianças. Achei o propósito incrível, o que realmente queremos para nossas crianças.

Porém, a parte chata, é que a data tem origem de uma comemoração machista, quando era chamada de “Tango no Sekku” (Dia dos Meninos), para celebrar a perseverança e força dos meninos. No período pós-guerra, com a nova Constituição de 1948, a data foi renomeada para “Kodomo no hi” para incluir também as meninas e demonstrar gratidão às mães. Porém, simbolicamente, a data continua sendo uma comemoração aos meninos, enquanto as meninas têm uma data especial celebrada no dia 3 de março (chamado de Hinamatsuri). Não me agrada essa “divisão” de gêneros para a comemoração, mas pelo menos o foco nos meninos ficou na simbologia.

A partir do fim de abril, as famílias expressam o seu respeito pelas crianças e lhes desejam força pendurando o koinobori (coloridas carpas em forma de bandeiras) em suas residências, no lado de fora da casa, a uma altura acima da linha do telhado para que todos os kois fiquem visíveis.

Mt Fuji, Gotemba, Satsuki, Maio, Serpentina De Carpa

É comum também vê-las penduradas em longas linhas em vários rios e canais em todo Japão e a dimensão dos kois pode variar de alguns centímetros a vários metros.

Os japoneses acreditam que as carpas trazem sorte, felicidade, saúde e sucesso na vida, ou seja, tudo uma criança precisa ter para um crescimento saudável.

No alto da haste, uma carpa (magoi) preta e grande representa o pai da família, logo abaixo é colocada uma carpa (higoi) vermelha para representar a mãe e, em seguida, carpas menores indicam os filhos.

O kashiwa mochi é uma comida típica das comemorações e trata-se de um bolinho feito com arroz glutinoso (mochi) recheado com pasta doce de feijão azuki e envolvido com folha de carvalho – uma vez que a árvore de carvalho não deixa as folhas velhas caírem até que as novas tenham nascido, se tornou símbolo da passagem harmoniosa das gerações. A árvore também é símbolo de prosperidade e de boa sorte no país.

Tirando a questão dessa divisão de gêneros, que citei mais acima, fiquei encantada com tanta simbologia e significado! O desejo pela saúde e felicidade das crianças, a simbologia das carpas, que trazem esse desejo, e também o próprio bolinho, com a folha de carvalho demonstrando a importância das gerações anteriores para as crianças.

Acho que não tem que dar presente no Dia das Crianças? Não, não acho, acho que isso faz parte da nossa cultura, de algo que as crianças já esperam. Mas acho sim que vale pararmos para refletir o que realmente ficará para nossos filhos, o quanto vale, para muitas pessoas, se endividarem para darem um brinquedo tão desejado – e caro!- enquanto há valores e ações que são de graça, e que terão um valor muito maior. As crianças precisamo de muito menos do que imaginamos e do que nos esforçamos para dar, falando em termos materiais.

Então proponho uma reflexão e até uma experiência para vocês, que vou fazer aqui em casa também. Pergunte aos seus filhos o que eles gostariam mais de ter no Dia das Crianças: um brinquedo x, ou um momento especial com a família (fica a cargo de cada um determinar ou não o que). Acho que a chance de sermos surpreendidos é grande!

Beijos – Mari

Deixe seu comentário

2 comentários

  1. Mariiiiiii!!!!! Adorei o post…….. sempre surpreendendo com leituras boas e gpstosas de serem lidas!!!
    Beijos!!

    1. Gi, eu achei a história e tudo que tem por trás dessa tradição incrível! Fico feliz que tenha gostado do texto :-) Beijos