Os Vilões das Lancheiras – Como Fazer Substituições

Quem me acompanha no Instagram sabe que prezo muito por uma alimentação equilibrada para as crianças e que, esporadicamente, abro algumas exceções e libero algumas guloseimas que não gosto que eles consumam com frequência.

Entre essas guloseimas, estão alguns alimentos que se consumidos no dia a dia, acabam se tornando vilões. E devido o fato desses alimentos estarem presentes na lancheira diária de muitas crianças, hoje vou listar para vocês algumas opções de substituições, especialmente para aquelas mães que vivem o dilema de “meu filho não come outra coisa, então eu mando”.

Vale dizer que esse post não tem o objetivo de julgar ninguém ok? É apenas informação para quem, em muitos casos, tem dificuldade em achar alternativas.

Eu mesma, para atender um desejo da Nina, principalmente, já que o Yuri ainda não solicita esse tipo de coisa, libero alguns desses itens para ela levar, uns com mais frequência que outros. Mas tenho plena consciência de que quando a lancheira dela vai com esses itens, isso é algo que não vai ser repetido no dia seguinte, e que ela também já entende que são alimentos que não precisam ser consumidos todos os dias.

Também vale dizer que as imagens são apenas ilustrativas, de marcas e produtos que são conhecidos pelas crianças.

Explicações feitas, vamos à listinha dos “vilões”.

Achocolatado

Lotado de açúcar e ingredientes nada naturais. A maioria das crianças adora, é fato! Mas o leite integral, enviado em uma garrafinha térmica, com uma quantidade bem menor que a da caixinha pronta de achocolatado, ou ainda, o próprio chocolate em pó, é uma opção bem melhor para o dia a dia, e que também agrada os pequenos.

Biscoito Recheado

Essa é uma opção que as crianças nunca nem experimentaram. Não temos o hábito de biscoito recheado em casa. Agora, com uma certa frequência, elas consomem e levam na lancheira biscoitos industrializados sem recheio, especialmente rosquinhas. É a melhor opção? Não, certamente não. Existem biscoitinhos “caseiros” vendidos em padarias e supermercados, com uma lista de ingredientes bem menor que a dos biscoitos industrializados, que vão agradar. Aqui eles amam rosquinhas de leite “caseiras” que, depois dos amanteigados caseiros que faço, é o que eles consomem com maior frequência. Mas para começar a deixar os recheados de lado, opções sem recheio já começam ser alguma mudança de hábito.

Bolinhos industrializados

É só olhar a lista de ingredientes. Um bolinho que dura meses em um pacotinho, só dura porque tem uma infinidade de conservantes e ingredientes químicos na composição. Aqui não consumimos, assim como biscoitos recheados. Faço bolo caseiro com frequência em casa, e asso em forminhas individuais. Uma opção, para quem não tem tempo ou não gosta de fazer bolo, são essas casas de bolos caseiros espalhadas por toda esquina.

Bisnaguinha

É  o mesmo caso dos bolinhos. A validade passa e os pãezinhos estão lá, intactos. Por que será? É muito conservante gente! Não sei porque esse hábito se criou em nossa sociedade, mas é como se bisnaguinha industrializada fosse comida para criança.

Aqui as crianças e também eu adoramos a bisnaguinha industrializada. Com requeijão eu como fácil umas cinco seguidas. Mas se eu comprar uma vez por mês, compro muito. A opção são as bisnaguinhas vendidas em padarias e supermercados, feitas sem a lista gigante de conservantes e ingredientes químicos. Compro diversos pacotes, solto as bisnaguinhas e congelo tudo em saquinhos. Tiro do freezer no dia do consumo somente o que vamos comer, e deixo descongelar naturalmente ou por 20 segundos no microondas. Assim como a bisnaguinha industrializada, adoramos!

Salgadinho

As crianças nunca comeram. Eu sempre AMEI! No colégio comia todo santo dia um pacote de salgadinho. Porém, aqui eles são substituídos por biscoito de polvilho, que dependendo da marca, também tem muita química, mas bem menos que os salgadinhos, ou pipoca, feita na pipoqueira, sem nenhum óleo. E mesmo que feita com alguma gordura boa (azeite, ghee, oleo de coco), a pipoca ainda vai ser uma opção melhor e certamente vai agradar a maioria das crianças. Em um saquinho bem fechadinho, se mantém gostosa o dia todo na lancheira.

Embutidos

Esse foi um item que tive dificuldade de tirar da nossa rotina alimentar. Sempre gostamos muito de um misto quente com um peito de peru, uma muçarela, um salaminho… mas atualmente, compramos se temos alguma visita, e consumimos somente o que sobra. As crianças adoram também, e por isso evito, pois eles querem comer sem limite. Para substituir o recheio dos lanchinhos, o requeijão, manteiga de boa qualidade (de preferência sem sal), cottage (as crianças amam por aqui), um patê caseiro, geleia, queijo branco, opções de recheio não faltam.

Iogurte industrializado

É muito açúcar e em algumas opções, muito corante. A Nina consumia muito, mas o Yuri não se interessa nem experimentar. Isso porque eles têm o hábito do iogurte caseiro com mel. E tudo bem, você não precisa fazer iogurte em casa, mas pode sim optar pelos mais naturais, e adoçar com mel, menos açúcar que os vendidos prontos, colocar uma fruta picada, bater com alguma fruta de preferência da criança. O que temos dificuldade aqui é em abolir o leite fermentado, que apesar de menos ingredientes “do mal” que o iogurte, ainda tem muito açúcar na composição. O consumo não é diário, mas toda semana tem na lancheira. Tá vendo que ninguém é perfeito? rs

Nectar de fruta na caixinha

Eu já escrevi um post com diversas opções de sucos industrializados sem açúcar e aditivos. Esse é um item que, de verdade, só compro quando a Nina está comigo no mercado e, atraída pelos personagens da embalagem, pede um para colocar na lancheira. Mas acho um item totalmente dispensável na rotina alimentar de qualquer pessoa, visto tantas opções existentes no mercado hoje.

Algumas das opções de substituição que dei aqui vão dar mais trabalho na hora de montar a lancheira? Sim, pode ser que sim. Mas acho que estamos falando da saúde dos nossos filhos, da formação de hábitos que vão fazer diferença na vida e na saúde deles. E apesar de algumas coisas serem mais trabalhosas, como fazer um bolo em casa, por exemplo, a maioria é apenas mudança de hábito de compras. Na mesma prateleira que você tem o “vilão”, você tem uma opção mais equilibrada.

Fica de reflexão.

Espero que tenham gostado das dicas.

Beijos – Mari

Deixe seu comentário