7 Fatos sobre os Filhos que os Pais não entendem

Domingo é Dia dos Pais, e preparei uma semana com posts dedicados a eles!!!!! Vou começar com 07 fatos sobre os filhos que os pais não entendem. São situações que eu vivo no meu dia a dia com o meu marido e que tenho certeza que muita gente vai se identificar!

E veja bem, não estou reclamando do papai das crianças aqui de casa em nenhum momento ok? Estou tentando tornar situações cotidianas mais leves e divertidas.

1. Existe roupa de sujar, de passear e de dormir

Acho que na maioria das casas as crianças têm aquelas roupas mais surradas, para brincar, ir no play, sujar de tinta, de massinha, de terra, as mais arrumadinhas, para passeios, e os pijaminhas, obviamente, para dormir.

Não importa de que forma eu organize e separe as roupas aqui, as crianças sempre surgem com roupas inapropriadas para a situação. Roupa de brincar como pijama é o mais comum, e até compreendo, porque tem umas que podem ser facilmente confundidas com um pijama mesmo. Mas não é raro eles estarem prontos para dormirem com aquela roupinha fofa, que você deixa reservada para passeios mais informais, que é sim bem confortável, mas que tá longe ser um pijama. Assim como essa mesma roupa, ainda impecável, aparece toda suja de terra da brincadeira no parquinho.

2. As combinações de roupas das crianças podem ser similares ao que você usa

Hoje em dia eu procuro não falar ou reclamar mais das roupas que o papai escolhe para as crianças. Tento, no geral, eu mesma deixar separado, e em situações em que ele escolhe, muitas vezes está ok, mas em outras, eu fico imaginando qual foi o critério para fazer a combinação das peças. Porque ok, tem homens mais desencanados na hora de se vestir, mas que mesmo em uma situação de total “não tô nem aí para o que vou colocar hoje”, são combinações que não fazem qualquer sentido. Vou dar um exemplo do meu pai, que em um final de semana com as crianças na casa dele, vestiu o Luli com uma camiseta da Nina que, além de ter as duas mangas totalmente floridas, no estilo mais menina de ser, era praticamente um vestido nele!!!! kkkkkkkk

3. A sensação térmica da criança não é igual a sua (que normalmente tem sempre calor)

O Rodrigo é muito calorento! Dias em que TODO O UNIVERSO está vestido de calça, manga longa, sapato fechado, lá está ele de bermuda, camiseta e chinelo, e dizendo que não está sentindo frio! Até aí ok, pode ser que ele tenha mais calor mesmo. Mas a questão é que as crianças não sentem todo esse calor, e tem dias que rola aquele desgaste de que “precisa colocar a jaqueta para levar para andar de bicicleta… vai pegar friagem… coloca a touca para não pegar vento”…

4. O cabelo de uma menina precisa ser penteado da raiz até as pontas (para pais de meninas)

Quando o Rodrigo penteia o cabelo da Nina eu não sei se é pior do que antes de pentear. Depois que lava o cabelo então, é aquela puxadinha na franja molhada na testa, umas passadelas da escova no comprimento e ela aparece como se tivesse passado por debaixo da língua de uma vaca ou, quando o cabelo está seco, como se tivesse andado de moto sem capacete. Rola uma dificuldade com os cuidados com os cabelos da pequena.

5. A criança não tem a sua idade para entender certas brincadeiras

Me lembro que desde muito tempo atrás, quando nem imaginávamos em ter filhos ainda, o Rodrigo “discutia” e fazia brincadeiras com o sobrinho dele “de igual para igual”. E a criança ficava triste, chorava, emburrava. Yuri tem dias (muitos dias) que acorda mega mal humorado, e não adianta, ele não quer papo. Não adianta querer fazer graça, pedir beijo, querer dar chamego. Quando muito ele aceita algo da minha parte. Aí o papai quer tentar tirar um sorriso do Luli Jiraya e toma gritos, choros, cara feia. Sei que ele só quer brincar com o filho, fazer ele rir, mas ele não entende que é brincadeira, ele não tá nem ligando pra isso. Sabe aquelas provocações que os homens fazem com seus “brothers”? É tipo isso. Tenho certeza que vocês me entenderão.

6. O tempo da criança não é o seu tempo

Sabe aquele momento que a criança está visivelmente esgotada, que algo precisa ser feito naquela hora para que ela possa descansar? O banho, o leite, o colo… que você sabe que alguns minutos poderão tornar tudo um caos? Que aquele vamos tomar banho, seguido de uma resposta SIM, precisa ter o banho providenciado naquela hora, porque se ficar para depois o banho pode já não ser tão bem aceito? Pois bem, vira e mexe há algo para fazer antes. Terminar de ler uma notícia, separar alguma coisa, beber uma água… aí a mãe é chata, mas depois que tudo vira um caos, você só consegue pensar: eu avisei!

7. Na hora que o bicho pega, a criança quer só a mãe, mas não é sempre que o bicho pega!

Não tem jeito. Independe de raça, de cor, de religião, de cultura, de país, de planeta. Tem hora que não há outro ser no universo que vá servir para uma criança do que a própria mãe. Só que veja bem, existem situações em que outras pessoas, inclusive o pai, podem contornar a situação. Então, se a criança tá gritando, chorando e clamando pela mãe, é bom avaliar e tentar resolver primeiro ao invés de jogar a bola do: ele só quer você #ficaadica.

E por aí, mais algum fato não compreendido na sua casa pelos super papais?

Aproveita e, se gostou, compartilha o post no facebook ;-). O botãozinho está logo abaixo do meu nome.

Beijos – Mari

Deixe seu comentário