Reflexões Maternas sobre o Presente e o Futuro

No último sábado, 06 de Maio, participei do 3o Seminário Internacional de Mães (http://www.seminariodemaes.com.br/). Eu confesso que não estava com grandes expectativas, e nem sabia se passaria o dia todo por lá, já que a programação começava às 8h e só se encerrava às 18h30, na minha cabeça, até então, muito tempo para passar o dia assistindo palestras.

Aí que me surpreendi positivamente e mal vi o tempo passar! Valeu muito a pena e esse post não tem o objetivo de falar sobre o Seminário em si, mas sim de algumas reflexões que ficaram pra mim, de algumas coisas que me tocaram e que podem gerar posts legais aqui no blog. E o que quero pedir para vocês é que me digam se essas reflexões fazem sentido e se faz sentido falarmos mais sobre esses assuntos.

Para facilitar a organização das minhas ideias, que ultimamente têm fervilhado na minha cabeça, vou dividir o post pelas palestras que assisti.

As imagens do post são da querida Karina, do blog Vida de Mamãe Moderna (https://vidademamaemoderna.com/), que gentilmente compartilhou comigo, já que as minhas ficaram horrorosas para serem publicadas…rs (eu não estava em um lugar muito favorável para tirar fotos).

Por que controlar as finanças é um ato de amor? – Mara Luquet

Mara Luquet,  colunista da CBN, jornal da Globo e SPTV, falou sobre a importância de controlar as finanças, frisando muito a perspectiva da mãe. Eu fiquei impressionada com os dados estatísticos apresentados, dos quais não me recordo os números, que mostravam como o índice de depressão na terceira idade aumenta quando esses os vão morar com os filhos.

Eu nunca havia parado para pensar nisso, e é claro que não estamos generalizando, que as exceções existem, mas é fato, é real, que quando um idoso tem um problema de saúde, associado a problemas financeiros, o negócio complica MUITO!

Eu não guardei dinheiro a minha vida toda, e como mãe, me vejo muito mais preocupada com o futuro dos meus filhos do que com o meu mesmo, nesse sentido. Essa palestra me despertou a reflexão de que meus filhos terão bastante tempo na vida para conquistarem as suas coisas e, é claro, que eu tendo condições, apoiarei sempre, em tudo que for necessário. Mas para que eu, inclusive, possa dar qualquer suporte necessário no futuro deles, eu preciso estar bem suportada primeiro.

As crianças ainda não têm poupança, previdência privada ou outros investimentos que garantam o seu futuro. Eu tenho, mas nunca foi algo pensado nesse sentido. Ela indicou um filme que fiquei com muita vontade de assistir chamado Conversando com Mamãe, que retrata os temas abordados na palestra.

Nunca pensei em falar sobre finanças aqui no blog, mas esse foi um tema que me despertou interesse e que eu quero saber se é de interesse de vocês também.

Cuidar da própria saúde, um dever de toda mãe – Dr. Drauzio Varella

Dr. Drauzio Varella é sem comentários! Acho que era a maior expectativa de muita gente que estava lá. Ele é pragmático, objetivo, sincero e muito didático.

Ele falou sobre a importância de cuidarmos de nossa saúde, algo que já sabemos, que ouvimos a todo momento, que sabe-se lá por qual motivo muitas de nós não fazemos nada a respeito.

Mas o que achei bacana foi o “tapa na cara” que ele deu em muita gente, inclusive em mim, de que a falta de tempo, os compromissos, os filhos, o marido, o trabalho, etc etc etc, são questões que cada um tem que resolver com si mesmo. Não tem fórmula mágica. Nas palavras dele “não é a prática de exercícios que faz bem, mas a vida sedentária que faz mal”. E vivemos em uma sociedade, em uma época em que somos muitas vezes forçados ao sedentarismo, na possibilidade de resolver tudo atrás de uma tela de computador.

Ele falou sobre um acordo que tem como ele mesmo, que eu já havia ouvido uma amiga dizer, que todos os dias ele levanta às 5h da manhã para correr, o que não é nada prazeroso! E o trato que tem é que só pode desistir depois que estiver pronto para sair. Enquanto estiver na cama não!

No fim, isso trouxe a reflexão e até uma motivação adicional, para mim que sempre reclamei de me exercitar, nas duas vezes na semana que fazia isso, com o personal tocando o interfone da minha casa e, desde a semana passada, que passei a ir em aulas diversas na academia, tenho me organizado e me exercitado com regularidade. Ok, é pouco tempo, mas é um começo.

Acham que vale a pena falar sobre isso?

O Começo da Vida: o que o documentário me ensinou – Estela Renner

A Estela Renner é diretora do filme / documentário O Começo da Vida, que teve muita repercussão no ano passado. Eu não assisti, mas fiquei com muita vontade de assistir depois da palestra. Mas o que mais me chamou atenção não foi o histórico do documentário em si e como esse trabalho afetou a vida da Estela. O que me chamou atenção foi a paixão com que ela fala do trabalho dela. Pra mim, ver alguém apaixonado pelo que faz, e isso justificando alguns sacrifícios é algo muito nobre!

Hoje, eu trabalhando por algo meu, por algo que realmente gosto, que me dá prazer, aquela postura me tocou de mais. Fiquei muito emocionada! E nisso me vieram muitas reflexões sobre a escolha que fiz na minha vida, em deixar a minha carreira, e que também vem de encontro com o propósito do documentário dirigido por ela.

Sobre isso eu não vou nem perguntar. É um tema que ainda será muito abordado aqui no blog e nas redes sociais.

Como trazer os pais para o jogo – Marcos Piangers

E o dia de palestras foi encerrado com o talk show INCRÍVEL, FANTÁSTICO, SENSACIONAL, EMOCIONANTE, ENGRAÇADO do Marcos Piangers, autor do livro O Papai é POP.

Piangers instiga e motiva a paternidade ativa, os homens se doarem e se entregarem de corpo e alma à paternidade. E ele tira muito do peso das nossas costas, da culpa que nós, mães, sentimos por possíveis “falhas” que cometemos.

Ele é filho de mãe solteira e a história dele já é um “tapa na cara” de muita gente.

Durante a palestra fiquei muito tocada e emocionada, pois eu pensava muito no meu pai e no meu marido, no quanto eles são Pais Pops. E nisso me dava uma tristeza, por amigas que sei que não têm parceiros assim, por outros que não tiveram pais assim, o quanto um pai participativo e presente é importante e o quanto isso causa impactos positivos na nossa vida.

Quero muito que o Rodrigo, meu marido, pais dos meus filhos, tenha uma voz mais ativa aqui. Eu acho que ele tem muito a compartilhar e fazer muita gente refletir, com seus pontos de vista e sua postura.

É isso gente, o que acham dos temas abordados? O que acham de entrarmos mais a fundo neles?

Quero muito a participação de vocês.

Beijos – Mari

Deixe seu comentário

10 comentários

  1. Valdomiro comentou:

    Fala mais do pai pop! RS fiquei curioso… A gente tenta né, mas sempre dá pra melhorar! ;)

    1. Falarei, falarei! Mas tem o livro, O Papai é POP, eu não li, mas vou comprar para o Rodrigo rs

  2. Jennifer Gibertoni comentou:

    Achei interessante todos os assuntos… rsrs

  3. Franciele comentou:

    Simplesmente fantastico! Tudo colabora e faz total sentido! Gostei de todos os temas abordados.

  4. Ruth martins beresa comentou:

    Mari, AMEI O POST. ACHEI TODOS OS TEMAS ABORDADOS INTERESSANTES PARA FUTURAS PUBLICAÇÕES.
    aGUARDO ANSIOSA :)
    bEIJOS

    1. Oi Ruth, em breve os posts começam a sair. Muito obrigada pela mensagem. Beijos

  5. Carolina comentou:

    adorei o post! No meu caso o que me tocou mais é a questão financeira. Até já anotei o nome de um livro indicado pela mara luquet sobre o assunto, chama “O valor do amanhã”, foi a Marina do @maesatuais que indicou. Acho incrível como deixamos de pensar em nós para pensar nas crias, o que chega a ser irracional até.
    bjs