Coluna da Nutri: O que é Comida de Criança?

Dia desses estava assistindo vídeos de uma blogueira de maternidade e ela comentava sobre algumas outras profissionais estarem vinculando seus perfis à promoção de uma rede de fast food saudável. Eu achei as observações dela totalmente pertinentes e muito em linha com esse texto da Luiza Mattar, nutricionista e editora do blog O que Houve com a Couve (http://oquehouvecomacouve.com.br/). Então, de volta com a Coluna da Nutri (http://mamiemais.com/category/colunistas/coluna-da-nutri/), o que é, afinal, comida de criança?

“Segundo os ‘menus kids’ dos restaurantes Brasil à fora, comida de criança é macarrão com molho branco ou vermelho, frango empanado (ou nuggets), bifinho com batata frita ou sanduíche (hamburguer/ cachorro quente). Ah, e até 12 anos só, tá? Se você com 15, 30 ou 50 quiser uma dessas opções, não pode. É só pras crianças MÊS-MO.

Tá, vou ser obrigada a concordar que esse tipo de coisa costuma agradar os pequenos. Mas será mesmo que isso caracteriza ‘comida de criança’? Opções pouco nutritivas, gordurosas, em variações de amarelo e marrom… Cadê as cores? As vitaminas, minerais, os legumes, verduras, cereais?

E depois que as crianças percebem que aquelas são as opções pra elas, como faz pra argumentar? Oferecer outro prato? Explicar que não são exatamente as melhores escolhas? Fica difícil né… Ainda mais quando o cardápio é todo especial pra crianças, com desenhos, personagens que elas gostam, caça palavras e etc. Fica quase impossível ‘competir’.

Lógico que têm os pais mais conscientes que escolhem um prato do cardápio normal pra criança, algo diferente, nutritivo e gostoso. Mas mesmo esses são prejudicados, pois quando pedem pra fazer metade do prato porque, cá entre nós, é um exagero a quantidade que a maioria dos restaurantes serve pra um adulto, imagina só para uma criança pequena, eles não conseguem. Ou porque o restaurante ‘não serve metade do prato’ ou até serve, mas o valor é quase do prato inteiro.

Não sei se é um complô pras pessoas não levarem seus filhos em restaurantes, porque crianças falam alto, bagunçam, se cansam – e aos outros… Mas, nessa sociedade moderna, onde estamos cada vez mais preocupados com a alimentação e o cuidado dos filhos, isso tudo não faz sentido na minha cabeça.

Durante a infância precisamos de uma alimentação variada e balanceada, além de estarmos formando o paladar e as preferências alimentares, estamos crescendo e nos desenvolvendo. Na infância, nada é proibido. Lógico que pode batata frita, hambúrguer, macarrão com molho. Mas precisa ser sempre um desses três quando a família sair pra comer? Dessa forma, corre o risco das crianças associarem restaurantes com junk food. E aí vão sempre querer sair não pra experimentar coisas diferentes e conhecer novos lugares, mas para poder comer esse tipo de alimento.

Estamos em uma época em que todo mundo sabendo que a obesidade infantil só aumenta… Cadê o arroz rosa das princesas, feito com beterraba? O creme de espinafre do Popeye? Panquecas tricolor, mini-batatinha assada, macarrão com carne e legumes estilo yakisoba, entre tantas outras opções gostosas, nutritivas e que, essas sim, deveriam ser chamadas de comida de criança!”

E vocês? Concordam com a opinião da Luiza? Eu assino embaixo de cada parágrafo! Constantemente me vejo com essa dificuldade.

Beijos – Mari

Este texto foi reproduzido, com autorização da autora, do Blog O que Houve com a Couve

Luiza Mattar é Nutricionista Comportamental especializada em pediatria e em transtornos alimentares. Acredita que o equilíbrio é a base de uma alimentação saudável. Comer de tudo para poder comer tudo- sem culpa, sem neuras e com muito prazer. Criou esse blog para ajudar as mamães com suas dúvidas, medos e aflições no que diz respeito à alimentação e nutri

Deixe seu comentário