Passeio com Crianças em São Paulo: Museu da Imaginação

Ontem fui com as crianças e minha irmã conhecer o Museu da Imaginação (http://museudaimaginacao.com.br/). Foi um passeio bem bacana para se fazer com crianças em São Paulo, e estou aqui para contar as minhas impressões.

O Museu da Imaginação (http://museudaimaginacao.com.br/) é um espaço que explora a imaginação através de exposições de arte interativas e estações de atividades lúdicas, onde as crianças podem tocar, usar, pular, correr e brincar livremente.

São dois mil metros quadrados, divididos em três ambientes totalmente dedicados ao livre brincar, que proporcionam diversas experiências sensoriais. As questões, hipóteses e significados são construídos pelas crianças, inclusive portadoras de necessidades especiais, sem condução de adultos e com total autonomia no espaço. O museu oferece monitores treinados para serem facilitadores das brincadeiras, sem intervirem no processo criativo e imaginativo das crianças.

É uma iniciativa 100% privada, fruto do sonho e trabalho de três amigas e mães empreendedoras, com apoio de educadores e artistas”. Informações do site do local.

Nina e Luli logo na entrada do ambiente onde estão as estações de atividades lúdicas

Achei o máximo as portas dos banheiros, fraldário, estoque, com palavras cruzadas

Realmente o espaço é bem lúdico e muito divertido. Entramos por volta das 10h30 e as crianças brincaram sem parar até a hora que fomos embora, perto das 13h. O Luli já estava cansado, mas a Nina saiu emburrada, porque não queria ir embora…rs.

Vou mostrar primeiro as imagens de como são as estações de atividades lúdicas e as exposições que participamos, e no final do post conto minhas impressões gerais, tanto positivas quanto negativas.

ESTAÇÕES LÚDICAS

Quem Será?

Dentro de cada cone identificado com uma marquinha preta, há o olhar de um bicho diferente. Alguns olhos a Nina identificou de cara (tigre, por exemplo), outros precisamos dar uma ajudinha. O Luli colocava o ouvido nos cones esperando ouvir algum som.

Casa da Árvore

Uma casa na árvore com uma rede para escalar e um escorregador para descer. Dentro da casa tem brinquedos, como uma pequena brinquedoteca.

Bolas Malucas

Eu curti mais que as crianças! A Nina ficou com um pouco de medo quando chegamos no topo. A estação estimula a criança explorar seus movimentos e perceber a interferência do seu corpo – peso, força, intensidade – sobre o ambiente. As crianças podem interagir com bolas gigantes penduradas no teto e circular pelas redes flexíveis presas nas paredes, que funcionam como pisos flexíveis.

Pense Bem

Nessa estação há quatro espaços com peças de borracha de cores, tamanhos e densidades diferentes. O objetivo é, ao colocar as diferentes peças no disco central, sempre mantermos o disco equilibrado, sem que nenhuma peça caia. O Luli não entendeu nada e a graça era colocar peças e chacoalhar o disco para cair. Como a proposta é o livre brincar, esse foi o jeito do Luli se divertir…rs. A Nina estava entretida em outras estações e não chegou a brincar aqui.

Ponte Maluca

É um jogo colaborativo onde os participantes precisam ajudar os personagens a atravessar uma ponte de pedras, dividida em seis partes iguais, sobre um lago. O jogo acontece em uma televisão, como um video game. Cada bicicleta é responsável por controlar a altura de uma parte da ponte e o objetivo é levar o personagem da esquerda para a direita. Achei muito legal a disponibilidade de uma bicicleta com acessibilidade motora.

Estação da Música

Foi uma das preferidas das crianças! As crianças têm contato com instrumentos musicais de verdade, como teclado, guitarra e bateria. Você escolhe livremente o instrumento que quer e o som não interfere no ambiente, pois só é ouvido com a utilização de fones individuais. Achei o máximo e nos divertimos muito aqui! Tem também acessórios para as crianças se caracterizarem para o show!

 

Fogueira

De baixo de um caramanchão gigante são disponibilizados jogos tradicionais, como amarelinha e bloquinhos. a Nina ficou super curiosa com a fogueira, querendo saber se era de verdade.

O Poder das Águas

Pistolas de água são o combustível das pequenas geradoras de energia que, à medida em que rodam, geram energia elétrica e acendem as luzes do brinquedo. Quando 15 litros de água são acumulados, o painel de luzes se ascende, a água cai e a engrenagem toda funciona. Adoramos também!

EXPOSIÇÕES

Ora Bolas!

Uma instalação cinética de Guto Lacaz com vinte bolas que sobrem e descem sem parar. Cada um imagina uma coisa: planetas, bolhas de sabão, bolas de gude, de futebol e tantas outras figuras leves e circulares, que se movem no espaço de forma livre e dinâmica! A Nina imaginou nuvens…rs. O Luli gritava Gol Gol Gol!

Sala das Esferas

Com curadoria de Bel Lacaz, a exposição apresenta uma releitura da obra de Pablo Picasso feita por quatro artistas brasileiros. Com base em uma obra de Picasso, é como se as formas saíssem da pintura e estivessem no salão. As cores também são as mesmas da obra. A exposição traz uma experiência tátil e sonora muito bacana! As crianças adoraram!!!! Luli quase destruiu esse espaço… Senhoooooooooooooor!

EU/TU/ELE/NÓS/VÓS/ELES

Didu Losso integra o lifestyle do skate com a arte contemporânea com a proposta de inserir a criança e o livre brincar no mundo das artes. A exposição traz diversas ilustrações sobre shapes de skates inspiradas em constelações, galáxias, action paintings (à la Jackson Pollock), máscaras de Kabukie e referências da cultura afro brasileira.

Grafites desenvolvidos pelo grupo OPNI e Rodrigo Yassuda também compõem o espaço que, além das obras dos artistas, tem a parte inferior das paredes pintadas com tinta de lousa para as crianças desenharem, pintarem e se divertirem livremente.

A Nina simplesmente pirou na simulação de uma pista de skate, onde subia correndo, se pendurava no topo e escorregava de barriga. Foi de longe o que ela mais curtiu!

Luli adorou correr livremente pelo espaço com pisos de mosaico colorido.

Além das estações e exposições que citei, o local é todo pensado nas crianças. No próprio salão da exposição EU/TU/ELE/NÓS/VÓS/ELES tem um espaço para lanchinho com mesas.

Junto às estações lúdicas há uma parede baixa com flores de EVA e velcro colados em pinturas de galhos. O Luli amou tirar e colocar as florzinhas e guardar em buraquinhos estratégicos.

Nina pintou em uma estação com prancheta e giz de cera gigantes e depois pendurou sua obra de arte em um varal com pregadores.

Um mini túnel passando pelas orelhas de um rato fizeram a alegria, principalmente da Didi Mel…rs.

Uma parede baixa também acomoda peças de lego em buraquinhos que deixam as crianças curiosas.

E agora as minhas impressões gerais.

Pontos Positivos

O espaço realmente cumpre a proposta, que é o brincar livre. Tanto a Nina como o Luli, com idades e interesses diferentes, se divertiram muito! Cada um ao seu modo e como a imaginação mandou, criou suas brincadeiras e aproveitou o que mais gostou de forma livre, sem interferências. Para crianças maiores, acho que a experiência é ainda mais proveitosa, pois já é possível entender o contexto e o objetivo de cada estação,  que a Nina ainda não compreende tão bem.

A equipe de guias e monitores é muito atenciosa e cuidadosa com as crianças. A Nina logo se sentiu super à vontade com a Laura, nossa guia. E apesar da disponibilidade dos guias, você não fica preso a uma estação ou outra por tempo limitado. A liberdade de brincar onde e como quiser realmente é um ponto forte.

O espaço é muito limpo e conservado, e apesar de ser bem grande, as estações são distribuídas de forma inteligente. Se eu estivesse só com a Nina, poderia tranquilamente ter ficado sentada enquanto ela brincava. Não é aquele lugar que você fica sugado de tanto caminhar.

E apesar da possibilidade de estar sentada e facilmente encontrar as crianças, é um local que promove muita interação dos adultos nas atividades também. Eu me diverti muito. Participei de muita coisa com as crianças e não aproveitei tudo que gostaria. Value a pena mesmo e eu certamente voltaria!

Acho também que crianças que já se divertem com amiguinhos aproveitam muito em grupo. A Nina com as amigas teria se divertido bem mais do que se divertiu “sozinha”.

Ah, e mais um ponto que achei incrível foi a promoção da inclusão social. Tudo pensado para possibilitar a visita proveitosa de crianças com necessidades especiais. O espaço, inclusive, promove visitas gratuitas com esse objetivo.

Pontos Negativos

Por ser um local direcionado ao público infantil, senti falta de um espaço para lanchinho no térreo, onde estão as estações lúdicas (as exposições ficam no primeiro andar, onde há um espaço para esse fim). Tem a Casa do Pão de Queijo, logo na entrada, mas não são mesas adequadas para crianças e não há grande opção para um lanche mais nutritivo.

Visitamos o museu no turno da manhã e levei lanchinhos de casa, mas como a visitação termina às 13h, se existisse a opção de uma comidinha simples (já pensou a Panela de Duas por lá? rs), ajudaria muito. As crianças foram para a escola sem almoçar, por exemplo. Não vejo problema nenhum nisso acontecer esporadicamente, mas se eles tivessem comido uma comidinha teria ficado mais feliz…rs.

E por fim, o preço também é um ponto não muito atrativo, o que é totalmente compreensível, pois o local é muito bem conservado e tem uma estrutura custosa de ser mantida. Não estou dizendo que não vale o preço, mas ainda assim não é um passeio barato. Eu não recomendaria a visita de final de semana, pois fiquei saboendo que é bem cheio e acho que as crianças não têm tanta possibilidade de desfrutar das estações livremente como pudemos fazer hoje.

Hoje tinha a visita de mais dois grupos de crianças enquanto estávamos lá. Foi possível aproveitar tudo, mas algumas estações ficavam cheias em alguns momentos. Essa espera para poder brincar, pode deixar algumas crianças irritadas.

Valores dos Ingressos

R$ 80,00 – Meia Entrada

R$ 50,00 – Adultos

Crianças de até 2 anos e 11 meses não pagam!

Horário de visitação

De Terça à Domingo.

Primeiro Turno às 10h.

Segundo Turno às 14h.

Permanência no museu por período: até 3 horas.

Estacionamento conveniado: R$ 20,00 por período, na Rua Ricardo Cavatton, 125.

Endereço: Rua Ricardo Cavatton, 251 – Lapa/SP

Telefone: (11) 2645-7590

E-mail: contato@museudaimaginacao.com.br

Espero que tenham gostado da dica!

Beijos – Mari

Deixe seu comentário