Trabalhar em Home Office

Há uma semana estou trabalhando em home office e vou contar para vocês minhas primeiras impressões dessa nova e louca rotina…rs.

Imagem pixabay

Quando decidi deixar meu emprego e empreender na Panela de Duas, não tive a ilusão de que teria mais tempo disponível, mesmo porque, tenho amigas que não trabalham fora há um tempo, e sempre achei que eu tinha muito mais tempo pra mim do que elas…rs. Mas eu esperava que teria mais flexibilidade de tempo, que teria a oportunidade de fazer coisas que, até então, não podia fazer por ter o compromisso de estar no escritório por 8 horas diárias, no mínimo.

Fato, a semana que passou me deu essa flexibilidade que tanto esperava (e espero que continue assim!!!). Em plena sexta-feira pude passar uma manhã com meus filhos e amigas em uma casa de chá, a noite levar a Nina e uma amiguinha para passearem, resolvi rapidamente algumas coisas em duas horas “livres” que tive durante a tarde, e respondi alguns e-mails a noite.

Só que flexibilidade não é tempo livre e muito menos fazer tudo que eu gostaria, no dia e na hora que eu gostaria, já que tenho compromissos a cumprir. Além disso, a possibilidade dessa sexta-feira atípica, me custou uma semana inteira de trabalho até as 23h – 00h de segunda a quinta-feira. Ou seja, não significa que trabalhei menos, muito pelo contrário, foi uma semana de volume de trabalho, como há muito tempo no escritório eu não tinha, mas com a possibilidade de gerenciar os meus horários para realizar minhas atividades. E isso foi sensacional!

E aí entra mais um ponto, que é a necessidade de muita disciplina, foco, planejamento e organização. Eu não senti o problema, que muita gente que faz home office relata, das tentações que temos em casa – TV, cama, geladeira… mas percebi que se não planejar e organizar o meu dia, as tarefas de casa, os cuidados com as crianças e o trabalho, se confundem em uma coisa só, e no fim nada é concluído.

Eu havia mentalizado um cronograma para o meu dia, mas me senti meio perdida no início da semana. Enquanto estava colocando a louça na máquina de lavar, me lembrava de um e-mail que tinha que responder. Enquanto respondia o e-mail, lembrava do jantar que tinha que tirar do freezer para preparar, e assim vai. Então determinei que meu dia precisaria ser dividido em duas partes: o período da manhã dedicado aos cuidados das crianças e da casa, e o período da tarde para trabalhar.

É um limite difícil de ser cumprido, porque no fim das contas, nossa vida é uma só, e não tem como separar vida profissional de vida pessoal (minha opinião). Quando tudo isso acontece dentro de casa, fica mais difícil ainda de gerenciar.

Dividindo meus dias dessa forma, no meio da semana as coisas começaram a fluir melhor, e aí entra a necessidade de foco e disciplina, para que uma atividade não interfira na outra. Funcionou bem, e praticamente tudo que me propus a fazer, foi feito, porém, o período da manhã ainda precisa de muitos ajustes, pois principalmente a rotina do Yuri não está acertada. Não encontrei o horário ideal para almoço, soneca, organizar lancheiras e mochilas. Ou ele está irritado para almoçar, ou ele está dormindo na hora de ir para a escola e vai mega irritado, ou ele dorme e acorda mal humorado e não almoça direito… enfim… tá zoado…rs. Mas aos poucos vou fazendo tentativas e ajustando.

No fim das contas, se eu colocar na balança, acho que a parte boa pesa absurdamente mais que as dificuldades, e eu as resumiria em alguns pontos:

  • Poder estar mais próxima das crianças (não tem preço)
  • Flexibilidade de tempo
  • Não precisar pegar congestionamento em horário de pico (sensacional!)
  • Poder trabalhar de meia no pé, pijama, roupas confortáveis e cabelo sujo… kkkkkkk. Pode soar meio porquinho e descuidado, mas depois de tantos anos tendo que me arrumar todos os dias para trabalhar, poder dar uma desencanada disso está sendo ótimo! Nos dias que tenho compromissos externos dou aquela caprichada, mas tenho aproveitado para relaxar nesse sentido quando estou em casa.
  • O tempo tem rendido muito no período que elas estão na escola, e quando elas chegam não deu tempo de estar morrendo de saudades ainda. É uma recepção deliciosa e calorosa, mas é ótimo elas chegarem com o pai e eu não ter aquele peso na consciência de que passei o dia fora e ainda não vou conseguir estar com elas de verdade. Delego banho e a tarefa do pai colocar para dormir bem tranquila, sem culpa nenhuma…rs. E provavelmente por elas estarem comigo a manhã toda, não estão naquela carência absurda de só mamãe serve. Acaba sendo um bom momento de respiro pra mim.

Mas sim, nem tudo são flores, e o limite para estar com as crianças em casa é meio período mesmo. Vai chegando o final da manhã eles começam a me deixar meio maluca. Já estão com fome, cansadas, um “cutuca” o outro, um chora, o outro grita, o outro bate, o outro responde pra mim… afe! Haja paciência!!! Sempre (ou quase sempre) que o sangue sobe eu tento respirar fundo e lembrar de um dos propósitos dessa nova rotina, que é estar mais perto deles. E aí procuro ser paciente e tentar compreender e atender as necessidades que eles estão demonstrando, nem sempre do jeito mais bacana. Mas é bem cansativo!

Como é pouquíssimo tempo, o que pega é só isso. Acho que com o passar dos dias vou começar a ver outras coisas. Mas achei que seria legal fazer o registro dessas primeiras impressões, para poder ler isso no futuro e pensar o quanto eu estava iludida – espero que não… kkkkk, ou que realmente esse foi o melhor caminho que poderia ter escolhido pra mim – espero que sim :-)!

Beijos – Mari

Deixe seu comentário

5 comentários

  1. TASSIANE CESENA MARTINS PEREIRA comentou:

    Boa tarde Mari,

    Nossa adorei esse post sobre trabalhar em casa e planejar tudo que será feito ao longo da semana (ou dia).
    depois de um tempo que meu filho nasceu, que eu sai do meu emprego, comecei a trabalhar em casa e fiz exatamente isso que você fez, fiz um planejamento do que teria que ser feito, e realmente dá muito certo, e tenho mais tempo para ficar com meu filho, deixar a casa arrumada e refeições prontas no horário certo.
    adoro acompanhar sua rotina, refeições, passeios.
    bjo e boa sorte nessa nova fase da sua vida.

  2. Luana comentou:

    Mari, eu sou advogada por formação e sou mãe de um casal, com idades parecidas com o seu casalzinho. Ano passado decidi, no início do ano, fazem home office, por vontade própria e deixando o escritório de lado, indo uma vez por semana e olhe lá. Não aguentei!!! Sou daquele tipo de pessoa que precisa focar em apenas uma coisa para fazÊ-la bem feita, se não, nada flui. Voltei para o escritório todos os dias, passei a estudar mais e tentar ao máximo separar ”casa e trabalho”. Por enquanto estou satisfeita, mas continuo pensando na possibilidade de fazer alguns ”home office” durante a semana…pensando com o meu esposo e estudando bastante o caso, para não ir novamente no impulso (que foi o que ocorreu no ano passado e lógico, diferente do seu caso, que foi bem pensado e planejado). Sucesso, querida!!!!!! Aproveite muito seus bebês e seja uma empreendedora dedicada, você vai muito longe ainda!!
    Beijo grande

  3. Nagela Cardoso comentou:

    Amaaaannndooooo ver este blog vivi gente!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Eu adoro poder ler posts completos e bem grandões ebaaaaaa

  4. Nagela Cardoso comentou:

    vivo *

  5. Renata alvim comentou:

    Adorando seus relatos!