Mulher e Mãe deixa a carreira corporativa para empreender

O título desse post poderia vir acompanhado da história de muitas mulheres. Mas hoje ele é o título da minha história!

Olha aí minha atual rotina…

Ontem, segunda-feira, acordei com o interfone tocando às 6h da manhã. Era o meu personal chegando para me dar aula, aula essa que eu havia esquecido completamente que tinha marcado.

Na noite anterior, depois de um final de semana de trabalho intenso em meu novo negócio, a Panela de Duas, fui dormir feliz da vida dizendo para meu marido que iria acordar, no dia seguinte, com meus despertadores humanos (Nina e Luli), e não com o despertador do celular, como de costume.

Tudo bem, não foi assim, o interfone tocou e me acordou, ainda cansada e me arrastando para sair da cama. Mas quando voltei da academia e não precisei viver a correria que vivia diariamente, apressando as crianças para ficarem prontas, correndo como uma louca para preparar lancheira, mochila, tomar café, me arrumar, eu senti uma gratidão imensa e a sensação de que tinha feito a escolha certa!

Há pouco tempo atrás eu não poderia imaginar que minha vida estaria dando essa reviravolta agora! O que estou vivendo era uma hipótese distante e incerta, não tinha prazo, data marcada, não era uma necessidade urgente.

Estava bem no meu emprego, em uma posição legal, conciliando, na medida do possível, minha vida pessoal com a profissional, com um bom salário, benefícios… sempre gostei do que fazia, amava a empresa, amo as pessoas com quem compartilhava boa parte dos meus dias. Não via necessidade e nem pensava em deixar meu emprego tão cedo. Sempre disse que deixar de trabalhar não era uma opção, que trabalhar fora sempre foi uma escolha.

E vejam como a vida dá voltas. Hoje, também por uma ESCOLHA, deixei de trabalhar no mundo corporativo, e venho trabalhando intensamente como empreendedora, dividindo meu tempo entre meu novo negócio e os cuidados com as crianças, que reduziram o período escolar de 10 para 6 horas diárias. Ah, e retomando o blog também… porque fazer uma coisa só e sossegar o rabicó, vocês já sabem que não é comigo… rsrsrsrsrs.

Nada aconteceu do nada, mas as coisas não foram planejadas para acontecerem assim. A vida foi me mostrando o caminho e as respostas para minhas angústias, meus medos, minhas dúvidas…

Quando voltei da licença maternidade da Nina tinha aquela ideia de que seria super mulher e, com uma empregada em casa todos os dias, iria me dedicar intensamente ao trabalho, enquanto estivesse no escritório, e aproveitaria minha filha quando chegasse em casa.

Por um tempo foi isso que aconteceu, até o dia em que minha imunidade despencou, eu passei seis dias na UTI, três deles sem saber se sobreviveria e, com a Nina com 9 meses, passei por um difícil momento na minha vida, onde comecei a me questionar sobre onde queria chegar, sobre o porque das minhas escolhas.

Tirei o pé do acelerador e comecei a encarar a vida e o trabalho com menos cobranças internas e de forma mais leve. Isso me custou o preço de uma carreira, que vinha em ritmo acelerado, dar uma “estacionada”. E ok, foi uma ESCOLHA, e estava feliz com ela.

Depois do nascimento do Luli a sensação de angústia de voltar a trabalhar e não estar mais perto dele me deixou muito mais abalada do que na época da Nina. Mas sabia que o trabalho me faria bem, que eu gostava do que eu fazia, amava a empresa onde estava, amo as pessoas que conviviam diariamente comigo.

E em um momento de alta motivação para fazer as coisas acontecerem, de vontade de buscar novos desafios profissionais, veio o início da decoração das festinhas infantis e um bom momento para o blog em termos de visibilidade e propostas de novas parcerias, as quais eu não conseguia avaliar e gerenciar.

Era muita coisa boa acontecendo junto! Até que a vida me deu sinais de que eu precisava encontrar meu caminho entre tantas alternativas que estavam surgindo. Por conta da crise econômica do país, expectativas profissionais foram frustradas e, ao invés de me martirizar, comecei abrir a mente para novas possibilidades.

Hipóteses sobre a possibilidade de um novo negócio com amigas passaram a ser conversas concretas, até que nasceu a Panela de Duas, em sociedade com minha amiga e colunista do blog, a Neima.

Chega o momento de olhar pra dentro de mim e assumir o que eu queria para a minha vida. Como foi difícil assumir que o caminho que estava trilhando não era o que me faria feliz no futuro. Como foi difícil assumir para as pessoas que amo que eu queria um novo caminho, porque a opinião dessas pessoas contava pra caramba. Se elas não me apoiassem, eu poderia não estar contando essa história para vocês hoje.

A opinião do meu marido contava muito. Mas ele percebeu que não existiam argumentos para tentar me convencer de algo diferente, porque eu estava seguindo o meu coração. Como uma pessoa importante nessa jornada me disse, quando fazemos escolhas de alma, não há o que ser argumentado.

Foi isso, foi uma escolha de alma e coração abertos, que me permitiram sonhar e me deram coragem de arriscar.

Nunca me senti culpada em estar longe das crianças, mas o desejo de estar mais próxima deles foi crescendo. Tinha muita vontade de acompanhar uma atividade extracurricular, de acompanhar o dever de casa, de poder tomar café da manhã e conversar com eles sem pressa, de não ter que apressá-los por conta dos meus compromissos.

Cada coisa no seu tempo e esse desejo foi se tornando possível de ser realizado.

Organizei as ideias e me planejei para tomar uma decisão depois de alguns meses.  E mais uma vez a vida me mostrou o caminho, quando veio a oportunidade, que eu tanto esperava, de crescimento na carreira. Nesse momento tudo ficou muito claro, pois ao invés de eu me sentir feliz, realizada, orgulhosa, eu me senti angustiada, com medo, não querendo assumir novos desafios, não querendo oferecer mais do que eu oferecia para aquela empresa que sempre respeitei e pela qual tanto me dediquei.

Não era questão do que a empresa poderia me oferecer, mas do que eu poderia oferecer para a empresa. Não era honesto eu aceitar, não era honesto eu seguir. Eu já tinha planos para um futuro próximo, e esses planos não incluiam uma carreira de sucesso no mundo corporativo. Os meus planos incluíam ter mais flexibilidade de tempo (veja bem, flexibilidade, não tempo livre…rs), estar acompanhando o crescimento dos meus filhos mais de perto, poder estar mais tempo na minha casa, o lugar que mais amo nesse mundo!

E então antecipei a minha decisão com um pedido de demissão. Eu não imaginava como é difícil externalizar esse pedido quando tudo parece estar bem. Foi muito sofrido, foi muito difícil, foi muito doloroso. Passei semanas com o emocional muito fragilizado, chorando muito, com medo, insegura, mas também feliz com as perspectivas vislumbradas.

Foi necessária uma boa dose de coragem, uma coragem que hoje, conversando com tantas mulheres sobre minha escolha, a maioria não tem. Como tenho recebido mensagens de pessoas que desejam tomar essa decisão e por N motivos não conseguem.

E eu não estou aqui para incentivar ninguém a fazer nada ou tomar decisão nenhuma. Eu estou aqui para, com minha história, dizer que a vida nos mostra muitas coisas que acabamos não enxergando quando estamos vivendo no automático.

Para muitas pessoas não é questão de escolha, é questão de necessidade. E nesse caso acho que a solução é conviver com a realidade fazendo dela o mais leve possível. Mas para quem tem a possibilidade de escolha, precisamos parar de olhar a formiguinha enquanto um elevante branco está passando na nossa frente. Eu precisei passar por diversas situações que, analisando hoje, consigo ver que a vida sempre me deu sinais de que esse seria o meu caminho.

Mas muitas vezes menti para mim mesma, tentei ser mais forte do que eu sou, bati no peito para não assumir algumas fraquezas. Pra que? Para aprender! Para ter orgulho do caminho que trilhei. Para ter certeza de que não tomei uma decisão no calor da emoção. Que minha decisão envolveu uma boa dose de emoção sim, mas não foi tomada de forma irresponsável ou irracional. Foram meses de reflexões para chegar aqui. Foi muito apoio de pessoas importantes na minha vida, foi muito amor e sinceridade comigo e com os outros.

Essa escolha está trazendo novas perspectivas, novos hábitos, uma nova – e louca – rotina. E está me trazendo também uma satisfação, uma alegria, um brilho nos olhos, que só quem me vê consegue saber do que estou falando!

Acho que teremos muito o que conversar sobre esse assunto. Então, após esse relato, que apesar de extenso, está bem resumido, aguardo os comentários de vocês para saber como seguimos com essa história.

Obrigada, de coração, por todo o carinho que venho recebendo nessa nova fase. Meu coração e minha alma estão alimentados dos mais nobres sentimentos. E isso dá um gás a mais para seguir.

Beijos

Mari – mami, empreendedora e mais!

 

Deixe seu comentário

17 comentários

  1. PatriCia comentou:

    Parabéns mari pela coragem!! ja faz Um tempo qUe sigo o blog e como vc já me ajudou! Que vc tenha muito sucesso nessa nova fase! Curta msm Sua linda familia!! Bjsjs

  2. Ana paola sevilla comentou:

    Que historia interessante! MomeNtOs de coragem e determinacao… misturados com muito amor aos seus filhos e dedicacao à familia… parabens e muito sucesso!

  3. Gigliane comentou:

    Aqui traBalho 2 diaS na semanA ( plantão) e os outros sÃo em casa. PoDeria trabalhar mais, a renda aumentaria, mas minha filha tem 3 anos , um dia ela vai crescer e ai sim aumEnto a carga de trabalho. Parabéns pela determinaçÃo, que Deus abençoe sua nova caminhada!

  4. Michele comentou:

    Mari Parabens pela coragem!!! Adoro o blog e muito na torcida pelo seu sucesso!! Bjss

  5. larissa comentou:

    parabéns Mari!!! sempre admirei a sua coragem e determinação, e agora admiro mais ainda!! eu, no momento, estou no caminho inverso, trabalhando como nunca imaginei que trabalharia! jornada de 12 horas em alguns dias, correria total pra não deixar de ser uma mãe presente, filha reclamando que sente a minha falta.. mas também está sendo uma escolha, e, nesse momento, está sendo importante! boa sorte nessa nova jornada, tnho certeza que será de muito sucesso!! beijos com carinho

    1. Oi Lari! Muito obrigada pelo carinho!!!!! Boa sorte nas suas escolhas também. Beijão!

  6. Nagela Cardoso comentou:

    Mari,

    Eu nem sei por onde começar, esperei tanto este texto e assim como você, achei resumido rs, queria sentar no sofá e ouvir tudinho, sabe assim?!
    Estou admirada por sua coragem e acredito que por trás de uma decisão de abrir mão de um emprego estável, de uma promoção, maior ganho em termos financeiros, existe uma boa base familiar e também uma estrutura financeira mais estável que possa custear este sonho pois, embora não seja dona do meu próprio negócio, imagino que o início não seja fácil. Mas a proposito nada hoje é fácil.
    Parabéns pela sua escolha e siga seu caminho feliz, com a certeza de que irá trabalhar MUUUITO, talvez e se Deus quiser até mais do que antes, contudo em sua empresa, o que torna tudo com um sabor muito diferente e muito mais gratificante com toda certeza.
    O que eu queria saber de você, o que queria que dividisse conosco, não exatamente estes sinais que nos rondam e que não conseguimos muitas vezes ver, como foi isso pra vocês?

    Super beijo!!

    1. Oi Ná! Realmente, o início não é fácil. Tem me exigido muito, mas a satisfação é gigante!!!! Muito obrigada pelo carinho. Vou fazer outros posts sobre o tema, mas sabe quando as coisas acontecem e ficamos P tentando achar explicação, porque os nossos planos eram outros? Mais ou menos isso. Tudo começou com aquele problema de saúde que tive. Foram acontecimentos que me forçaram a fazer reflexões. Tem muita coisa envolvida. Mas aos poucos vou contando para vocês. Beijão Mari

  7. Susana comentou:

    Mari,

    Muito parabéns pela coragem! (adoraria tê-la também rsrs)
    Muito sucesso nessa nova fase.

  8. Renata alvim comentou:

    que ÓTIMO que ha esse meio para você compartilhar com o mundo a sua historia!!

  9. Lidiane Vaz comentou:

    Mari……lindo de ver o quanto esta energia é boa e como vc nasceu pra isso….te acompanho a pouco tempo e ja me sinto amiga de séculos. Parabens pela coragem e por me fazer todos os dias correr no seu insta pra saber um pouquinho do seu dia -a dia.

    Bj
    Lidi (mae Davi Luiz 2,5m)

    1. Ah Lidi, que legal suas mensagens viu! Seguidoras assim são inspiradoras pra mim! Beijos