Expectativa e Realidade da rotina de mãe

Ontem o Luli estava em sua sagrada soneca matinal, almocei com a Nina e o papai na santa paz. Ele acordou, eu achei que ele estava faminto (era quase 14h da tarde!), preparei o pratinho na maior expectativa dele ficar doidão de felicidade! Só que não (snif, snif, snif). Ele não queria comer, fez a maior birra da vida, só queria suco, bateu na minha mão segurando a colher cheia de comida e, para finalizar, arremessou o prato cheio no chão. Daquelas coisas para fazer a mãe querer se jogar do décimo sexto andar!

Depois de um tempo ele desistiu do show de horror e comeu. Aí eu comecei a lembrar de quantas situações vivemos em nossa rotina de mãe, onde a expectativa está bem longe da realidade.

Então listei 10 situações de expectativa e realidade para nos divertimos um pouco. Não é em 100% dos casos que essa frustração vai acontecer. Mas olha, eu duvido que você, que é mãe, não se identifique com pelo menos metade delas!!!! Veja só.

1 – Pós parto

Você passa a gestação desfilando aquele barrigão. Chega o tão esperado dia de conhecer o rostinho do seu bebê, e…

Expectativa: o bebê vai nascer e a barriga vai desaparecer.

Realidade: você passa um bom tempo, meses até, parecendo que continua grávida, nas primeiras semanas, de uns 5 – 6 meses.

Olha minha barriga charmosa, no dia seguinte ao nascimento do Luli. Fofa né gente? Se não fosse o Luli na foto vocês achariam que ele ainda não tinha nascido.

Adoro esse post da Luana Piovani, três meses após dar a luz, pedindo um “cala a boca” para esse bla bla bla de boa forma pós parto

2 – Banho

Você leu bastante durante a gestação sobre a rotina, sobre o ritual do sono, sobre como o banho é importante para relaxar a criança.

Expectativa: uma criança calma e tranquila, praticamente dormindo na banheira, de tão delicioso que é o banho que você está proporcionando.

Realidade: você com os ombros duros de tanta tensão e medo de afogar o bebê na banheira, uma criancinha toda molenga, que escorrega enquanto você o ensaboa, e um chororô ensurdecedor quando você vira o bebê de barriga pra cima.

 Esse é o Luleco com 5 dias de vida. O medo de afogar o pituco já não me assombrava mais, mesmo porque, no primeiro banho em casa, eu deixei ele dar uma escapada e tudo beleza, porque ele estava vivendo na água até alguns dias atrás né? Tipo mestre na arte de nadar. Mas o chororô quando vira de barriga pra cima esteve presente por dias!!!

3 – Quarto Decorado 

Você prepara um quarto lindo, decorado, com uma bandeja de itens de higiene, lindos objetos decorativos, almofadas, lençol de baixo, do meio, de cima, de lado. O bebê chega.

Expectativa: um anjinho dormindo e curtindo aquele ambiente mágico que você planejou e executou com tanto carinho. 

Realidade: bandeja de higiene aposentada, bichos guardados, almofadas e lençóis decorando dentro do armário, porque né, no dia a dia, não tem quem dê conta de deixar o berço de loja de decoração montado, e não há bandeja que se mantenha intacta em um trocador com um bebê que parece que está na festa de música eletrônica, de tanto que se chacoalha quando você vai trocar a fralda. Mas sei lá, você pode ter uma cômoda de uns três metros de comprimento e não passar por isso.

Imagem pixabay

4 – Chupeta 

Você optou em dar chupeta para o seu bebê, entendeu que isso poderia te ajudar a acalmá-lo e que não vai atrapalhar na amamentação (quem é contra a chupeta, pula essa parte). 

Expectativa: na primeira crise de desespero do bebê, 15 min depois de passar meia hora mamando, você vai lá, toda felizinha, e oferece a chupeta, que é recebida com muita alegria pelo bebê.

Imagem pixabay

Realidade: o bebê não segura a chupeta na boca, cospe, grita mais e mais quando ela é oferecida, quando consegue chupar dá duas chupadinhas e plof… cospe longe (aqui em casa eles pegaram a chupeta com uns 4 meses já). Porque não, bebê chupar chupeta não é tão natural quanto parece, pelo menos até pegar o gosto pela coisa, aí luta para tirar depois, mas isso é outra história.

5 – Alimentação

Chega a fase da introdução alimentar. Você pesquisa receitinhas e prepara deliciosas papinhas para seu bebê.

Expectativa: bocão aberto, sorrisos, prato limpo, criança pedindo mais!

Realidade: boca travada, gritos, comida arremessada no chão, comida jogada no lixo, mãe irritada, mãe frustrada… ai ai ai… até em casa, onde meus filhos sempre se alimentaram bem, tem dia que a hora da refeição tá bem longe da expectativa de um conto de fadas e é um verdadeiro caos! Imagino para crianças que dão trabalho para comer desde a introdução alimentar. Minha solidariedade a você que vive isso diariamente mamãe.

Imagem Baby Center

6 – Passeios 

Você programa aquele passeio sensacional. Prepara mochila, lanchinho, fraldas

Expectativa: crianças felizes e saltitantes, empolgadas com a diversão, rindo, sorrindo para a foto.

Realidade: crianças rabugentas, chorando na fila porque sua vez não chega logo, com vontade de fazer xixi quando você está a 1km de distância do banheiro (quando não é cocô), quando usam fraldas, a mesma vaza bem quando sua vez chega. E também tem o medo dos personagens que veem na TV e acham super fofos, mas que do tamanho de um gigante botam medo. Fogem da foto, brigam com as outras crianças. É isso… tem passeio que é mico, por mais que você idealize a diversão garantida.

Imagem pixabay – oooooops… parece que o passeio na neve não deu muito certo…rs.

7 – Atividades extracurriculares

Você acha que só ir na escola tá muito pouco, que criança precisa de estímulo, de atividades diferentes, de inglês, de judô, de ballet, de natação. Aí vou contar o caso real tá bom? Fiquei três meses na fila de espera para matricular a Nina na natação. A vaga saiu (uhuuuuuu)!

Expectativa: Nina de maiozinho, chinelinho, toca e óculos de natação, animadona para aprender a nadar. Quando chego e digo: Ninaaaaaaaaaa, sabe onde mamãe vai te levar amanhã????? Na aula de nataçãoooooooooooooooo!

E aí vem a realidade.

Realidade:

Nina diz: mas por que eu preciso ir na natação?

Ah Nina, para você se divertir, aprender a nadar.

Mas eu não quero ir na nataçaaaaaaaaaaaaoooooooooooooooooooooooooo buaaaaaaaaaaaaaaaaaaa buaaaaaaaaaaaaaaaaa buaaaaaaaaaaaa

Deu pra entender né?

8 – Primeiras palavras

Você carrega a criança na barriga por meses, dá amor, carinho, atenção e bla bla bla.

Expectativa: obviamente que a primeira palavra será mamãe!

Realidade: não importa qual a palavra, mas não é mamãe! Você diz mamãe, e a criança repete: Papai! Vovó! Pão (no caso do Luli)!

A criança fala qualquer coisa, menos mamãe. Eles curtem esse suspense até sair o mamãe, que depois não sai da boca deles nunca mais, quando você precisa implorar pedindo para que a criança chame, no mínimo, o pai.

9 – Desfralde 

Você compra calcinha, cuequinha, piniquinho, livrinho e tudo no diminutivo para tirar a fraldinha e economizar uma graninha. 

Expectativa: criancinha feliz radiante com a musiquinha que toca no pinico a cada xixi ou cocô que cai lá dentro.

Realidade: cai xixi e cocô no tapete, no sofá, no chão, na rua, na chuva, na fazenda, na casinha de sapê, menos no penico. E quando a criança finalmente faz as necessidades no penico você se dá conta de como é nojento limpar um penico! Eita fase!

 Imagem: www.mamatraca.com.br

 10 – Roupas modernas

Você vê aquela roupa linda, moderna e descolada na loja. Não resiste. Deixa de comprar aquele sapato que você tanto queria e vai comprar a roupinha para seu pituquinho ou sua pituquinha.

Expectativa: Criança arrumada, caras e bocas para a foto, muitas curtidas nas redes sociais, até um convite para uma agência famosa de modelos.

Realidade: criança se esgoelando porque não quer colocar a roupa, quando coloca grita, reclama, fala que coça, que é ruim, que não quer, que quer colocar aquela combinação de calça de bolinha laranja com a camiseta do seu personagem favorito, que tá manchada de suco de uva, cheia de bolinha e esgarçada, mas né? é o que a cria gosta e a gente tem que estimular a liberdade de escolhas e valorizar a personalidade.

Gente, essa foi uma pequena listinha do que lembrei de cara. Se lembrarem de mais alguma coisa deixem nos comentários. Eu me diverti muito escrevendo esse post e lembrando das situações que passei aqui em casa. Espero que tenha divertido vocês também.

Beijos – Mari

Deixe seu comentário