Coluna da Neima: Doação de Leite Materno

 

doação leite materno[imagem: Revista Crescer]

Olá, mamis! Tudo bem? Hoje o assunto é a doação de leite materno. Sabiam que apenas 1 mL de leite materno pode ser suficiente para nutrir um bebê prematuro? Graças a Deus não tive problemas em relação à quantidade de leite com nenhum dos meninos. Com o Gu eu extraía o excesso e o marido dava pra ele na mamadeira. Mas o Dudu não aceitou a dita cuja de jeito algum, e aí eu estava tendo que jogar fora o excesso de leite. Como quase sempre ele dorme a noite toda, quando acordo para amamentar tem muito leite acumulado. E para evitar a pega incorreta e as temidas fissuras, é recomendado retirar esse excesso antes de o bebê mamar.

Sabendo da importância do aleitamento, resolvi procurar um banco de leite. Recorri ao site oficial para encontrar algum banco que pudesse me orientar: www.redeblh.fiocruz.br.

O que tenho a dizer é que infelizmente o site não é muito “didático” quando se trata do município de São Paulo, porque contém alguns bancos que não aceitam doações. Mas depois de vários telefonemas, fui prontamente atendida pelo Banco de Leite do Hospital Geral Dr. José Pangella de Vila Penteado. Esse banco de leite retira doações em casa e atende parte da Zona Oeste.

Os requisitos principais para ser doadora são apenas dois: ser saudável e não tomar nenhum medicamento que interfira na amamentação.

Funciona assim: a partir do momento em que você se dispõe a ser doadora, você passa por uma breve “entrevista”, preenche um formulário com informações pessoais (dados sobre a gestação, número de filhos, se amamentou anteriormente, como foi o pré natal, o parto, vacinas). Tanto essa primeira entrevista como o formulário são feitos via contato telefônico e e-mail, o que facilita demais.

A partir daí, é possível combinar com o banco de leite a data de retirada das doações (sim, eles retiram na sua casa!). No meu caso, no primeiro dia a funcionária do banco de leite veio aqui e conversamos um pouco mais sobre a extração, ela me trouxe os vidros (já esterilizados), máscaras e toucas. Nessa ocasião eu também forneci os meus exames de sorologia, e combinamos que na próxima coleta ela extrairia amostras sanguíneas para o exame de Doença de Chagas (que não faz parte do rol de exames do pré natal – essa doença impede a doação de leite).

Conforme as orientações que me foram passadas e o site oficial, o procedimento correto para a extração é o seguinte:

– Escolher um lugar limpo e sem a presença de animais;

– Usar uma touca ou lenço para cobrir os cabelos;

– Usar uma máscara para cobrir o nariz e a boca;

– Lavar as mãos e os antebraços até o cotovelo com bastante água e sabão;

– Evitar conversar durante a ordenha (até parece, né – quem é que acorda de madrugada para fazer companhia pra gente??? rs);

– Realizar a ordenha, de preferência a manual, e armazenar o leite num frasco de vidro (previamente esterilizado), com tampa de plástico, no freezer, por até 15 dias.

Como o intuito do post é somente o procedimento para a doação, não vou me estender sobre a limpeza adequada dos vidros, forma de armazenamento e conservação, mas nesse link há informações super completas: http://www.redeblh.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=397.

A Mari tb já falou aqui no blog sobre esse assunto.

Para quem mora em SP (Capital), listei abaixo alguns bancos conforme o local de atendimento:

– Hospital Geral Dr. José Pangella de Vila Penteado: (11) 3976-9911, ramal 207 (atende parte da Zona Oeste);

– Hospital Universitário da USP: (11) 3091-9210 (atende parte da Zona Oeste);

– Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros: (11) 2292-4188/2694-0989 (atende a Zona Leste)

– Hospital Geral de Pedreira: (11) 5613-5900 (atende a Zona Sul);

– Hospital do Servidor Público Estadual: (11) 4573-8172 (segundo me informaram, esse atende toda a cidade).

Fica aqui o meu incentivo para todas as que tiverem condições de doar. É um gesto pequeno e que pode fazer muita diferença na vida de muitos outros bebês e suas famílias!

Bjs e até a próxima! Neima

Deixe seu comentário