37 Semanas de Gestação e o Yuri dando Sinais de que está chegando

Não escrevi nem a primeira frase e já estou com as lágrimas correndo por aqui! Com 37 semanas e três dias de gestação, a hora de ter o Yuri nos braços está cada vez mais perto de chegar.

DSC_2341

Foto Karim Scharf

A data prevista de parto é dia 09/06, e eu planejava trabalhar até o final, mesmo que fosse de casa, para ter o máximo de tempo possível com ele. Porém, tinha 15 dias de férias vencidas que não poderiam coincidir com as próximas que já vencem em Julho. Então, programei férias a partir do dia 01/06, já que se ele nascer antes, elas são suspensas e eu usufruo depois da licença.

Fui na segunda-feira na consulta com a GO. Apesar de uma horinha de contrações ritmadas e desconfortáveis na noite anterior, tudo ok, coração do pequeno batendo forte e sendo ouvido na altura do meu umbigo (bebê alto), não vai nascer hoje (rs), pressão ok, parabéns pelo peso equilibrado (10,700 kg até então), leva os papéis da internação para uma emergência, marca nova consulta para a próxima semana e faz um ultrassom um dia antes ou no mesmo dia de manhã para garantirmos que está tudo ok. Beijo tchau!

Da consulta fui para o escritório e por lá fiquei até quase 21h30 da noite. Vai que ele decide se apressar como a irmã, que nasceu no dia em que entramos na 37a. semana, melhor já organizar os papéis para a mudança de prédio que acontecerá durante a licença (sacanagem deixar essa tarefa para as meninas que trabalham comigo), leva a caixinha de coisas pessoais para casa, bate um aperto no peito de ver minha mesa pelada, mas ok, quarta e quinta eu já volto para ministrar treinamento para três turmas, e faz reunião com a chefe, alinha tudo, explica o que tá pendente, mas não se preocupa chefe, isso tudo só caso ele resolva nascer antes da data prevista, já estou cuidando de tudo. Até quarta, beijo e tchau.

Terça-feira trabalho de casa. Recebo a visita da nossa colunista Neima com seu baby Dudu, com 3 meses, a coisa mais simpática e gostosa da vida! Visitinha rápida, o suficiente para conversarmos um pouquinho, tomarmos um chazinho com um bolo que ela trouxe de presente. Beijo, tchau e vou trabalhar.

E-mails, relatórios, a apresentação para o treinamento que vai acontecer na quarta e na quinta. O dia rende horrores! Finalzinho do dia minha massagista vem me relaxar com suas mãos de fada, busco a Nina na escolinha, preparo um jantar caprichado e improvisado com o que tem, já que desisti de fazer compras no final de semana e não rolou cardápio, jantamos, finalizo e publico o post do dia no blog enquanto papai coloca a Nina para dormir.

Estou cansada e faço as contas do horário que preciso acordar no dia seguinte para dar tempo de lavar e secar o cabelo que está imundo. Não dá para aparecer em público e ainda mais dar treinamento naquele estado. Entro no banho por volta das 23h de touquinha nada charmosa, sinto uma contração e começam os devaneios: “e se o Yuri nascer amanhã? e se nessa madrugada eu tenho que ir para a maternidade? como eu vou para o hospital com esse cabelo? e esses pêlos nas pernas e nas axilas?”

Tiro a touca, lavo o cabelo, dou um trato geral, seco o cabelo, me lambuzo de creme, prorrogo o horário para acordar no dia seguinte, deixo tudo pronto para não me atrasar e vou dormir.

Acordo as 3 da manhã para fazer xixi. Contração. Ok, são as de treinamento. Volto para a cama e contração de novo. Hum, de novo? Aí vem vontade de fazer número 2, mesmo estando meio ressecada ultimamente. Vou ao banheiro. Mais contração. Banheiro de novo, fome, contração, desconforto, contração. Mas não dói. É só desconfortável.

Vou para a sala e passo uma hora monitorando. Elas vêm de cinco em cinco minutos, igualzinho aconteceu quando a Nina nasceu. Será que é a hora? Volto para a cama e chamo o marido: “pega uma maçã pra mim e vamos monitorar mais um pouco?”. Mais meia hora e varia entre 3 a 5 minutos de intervalo. Sem dor também. Banheiro mais duas vezes.

Nisso já são quase cinco horas da manhã. Não acho necessário acordar a médica e mando uma mensagem no whatsapp. Ela já tinha me dito que provavelmente em uma situação assim me indicaria tomar um buscopan e aguardar. Mando mensagens para várias amigas, quem sabe alguém está acordada para falar comigo? Como torradinhas, bolo, tomo chá e volto para a cama as 6h30, depois de conversar um pouco com a Neima, que acordou para amamentar e não conseguiu mais dormir… tadinha. Causei.

As 7h a médica respondeu minha mensagem. Toma buscopan e espera uma hora. O medicamento vai tirar a dúvida. Perguntei sobre continuar indo para o escritório e ela achou melhor não.

Avisei na empresa, cancelei os treinamentos que faria na quarta e na quinta, tomei o buscopan, comi dois mistos quentes e dois copos de suco de laranja (será que eu estava ansiosa???? fome não era, porque tinha comido durante a madrugada) e passei uma manhã suuuuuuuuper abalada! Chorei muito, muito, muito. Nem sabia porque chorava. Era uma angústia, uma ansiedade, um amor em ver a Nina misturado com preocupação. Chorei de soluçar, por mais de uma hora seguida. Mas lavei a alma! Tomei um banho e segui o meu dia. Tive contrações o dia todo, mas nem monitorei mais intervalo e não tinha dor. Trabalhei de casa, fiquei agarradinha com a Nina quando ela voltou da escola, pedimos um delivery japa para o jantar, e papai foi colocar a pequena para dormir.

Terminei de comer, veio uma cólica bem forte e achei que era vontade de ir no banheiro. Não saiu nada. Começaram contrações levemente doloridas, mas totalmente suportáveis e mais cólicas. Falei com a médica, buscopan de novo e não precisa controlar intervalos. A intensidade que vai determinar a hora de ir para a maternidade. Eu pergunto: “mas só vou para a maternidade quando eu não estiver aguentando?” Isso mesmo, parto normal é assim, tem que ter paciência. Ainda não é a hora.

Tomei o buscopan, um banho e fui dormir. Havia passado a noite anterior inteira acordada e estava um zumbi, super cansada. Acordei só uma vez para ir ao banheiro e dormi como uma pedra!!!! Acordei renovada, com muita dor no quadril, acho que por conta de ter ficado muitas horas na mesma posição, vai ter massagem hoje, as contrações continuam, não totalmente indolores, como na madrugada de terça para quarta, mas totalmente suportáveis.

E aí fiquei refletindo algumas coisas sobre o nascimento da Nina. Vivendo essa experiência com o Yuri, quando a Nina nasceu eu não estava em trabalho de parto de fato. Estava vivendo o pródromo, que é o que vivi na madrugada de terça para quarta. A minha médica anterior optou por fazer a cesárea, e hoje, mais do que nunca, eu tenho certeza que aquela cesárea foi totalmente desnecessária! Nunca terei como saber, mas eu acho que a Nina ficou os três dias na UTI por conta de ter nascido naquele momento. Ninguém me disse, é algo que eu acho. Ela poderia esperar, ela não estava pronta para nascer naquele dia. Podem ser devaneios e eu posso estar falando besteiras. Mas é o que me vem em mente quando penso em todo o histórico.

O importante mesmo é que ela está aqui, linda e saudável, me ensinou a ser mãe, me tornou mais consciente, paciente e madura. E pela experiência que vivi com ela, hoje estou tendo a oportunidade de viver uma outra experiência com o Yuri. Ele está se preparando para chegar, ele está preparando a mim e à nossa família para sua chegada. Ele vai chegar na hora em que estiver pronto, independentemente do tipo de parto. E isso está fazendo toda a diferença. Estou vivendo momentos de aflição, de ansiedade, de expectativa, mas principalmente, de muito amor!

Precisava registrar esses últimos dias, para poder relembrar sempre que quiser do que está sendo a espera do meu menino. E chega, porque vou me afogar em minhas próprias lágrimas… mas são de alegria :-)

Beijos – Mari

Deixe seu comentário

18 comentários

  1. Daniele comentou:

    Mari deus te dê uma ótima hora, que pelo jeito esta PRÓXIMA, e logo VAi ter o yuri lindo e cheio de saúde nos seus braços…. É muita emoção mesmo!! Vc falando me lembro DO nascimento do meu baby!! Beijos

  2. Cristina comentou:

    um relato cheio de verdade e emoção! yuri está chegando! fiquem com Deus! dará tudo certo!

  3. Adriana comentou:

    Aiiiiiiiii que linda! Me emocionei aqui tbm…entro todo dia no seu ig para ver se você já foi pra maternidade…essa ansiedade e aflição sempre vamos viver, independente de ser primeira, segunda ou terceira gravidez….Que Deus abençoe essa reta final e que a chegada do Yuri seja tranquila porque cheia de amor tenho certeza que sera! Grande beijo pra você e sua família

  4. NatY comentou:

    Nossa Mari, passando prAticamente pela mesma coIsa, so que esTou de 39 + 5 dIas hoje! Me identifiquei com tudo, idas ao banehEiro, fomes, buscopan, e etc! Fui conseguir coChilar as 7hs da manha. Tenho tomados alguns banhos quentes, tem ajudado a relaxar. So que as minhas ja estao Um pouco doloridas, mas medico disse pra esperAr mais! Primeiro nenem, nem estou ansiosa com a chegada da prIncesa rsrs! Bom É isso, amo seu blog!!! E uma boa hora QuandO chegar a hora dele

    1. Ai que emoção Naty!!!!!! Acho que se eu chegar até 39 semanas vou pirar de ansiedade… hahahahahahaha. Muito obrigada pelo carinho e boa hora para vocês também. Está muito perto heim. Beijos

  5. Patricia comentou:

    Boa Hora Mari, que você consiga ter o parto que sempre sonhou, e que seu PRÍNCIPE venha cheio de saúde e trazer ainda mais felicidade a essa FAMÍLIA linda. bjs

  6. Gisela comentou:

    Arrepiada com o seu relato. Desejo tudo de bom pra voCês! Que o yuri venha com muita Saúde!! Beijosss

  7. Dani comentou:

    Mariiii!!!! Tô vivendo daqui sua ansiedade e alegria!
    Que Luli chegue cheio de saúde e te enchendo de mais e mais felicidade e amor! tudo vai dar certo.
    Meu Rafa chegou de parto normal e pelos seus relatos revivi parte da minha experiência… digo parte porque ele nasceu na primeira noite em que acordei com essa “vontade de ir no banheiro”. No exato dia em que completei 40 semanas… meu médico falou pra eu ir pro hospital e lá chegando constatamos que eu estava com 5 cm… em menos de 3 horas meu príncipe estava nos meu braços e eu sem conseguir realizar que ele realmente havia chegado!
    Sou como vc, acredito que todo bebê tem sua hora e sua “forma” de chegar. Te acompanho desde antes dessa gravidez e sei das suas dúvidas sobre o pn… se tiver que ser, será! relaxa porque vc já sentiu que está em boas mãos e que seu pequeno te mostrará a hora de vir ao mundo!
    mto e mto bjos!

    1. Dani, muito obrigada pelas suas palavras. Me confortaram muito!!!!!! Nessa fase ficamos muito sensíveis né? Beijos!!!

  8. Flavia comentou:

    Mari
    Que Deus ABencoe vc e o Yuri nO momento da chegada dele, com certeza sera um lindo e especial momento. Maria passa na frente e te dê serenidade, confianca e tranquilidade. Bjao com muito amor

  9. MoniCa vaccari comentou:

    Mari,

    Estou emocionada com seu relato e feliz por Saber que voce e o yuri estao bem, Com certeza a chegada esta proxima…Nao sei sua religiao, mas desejo que nossa senhora do bom parto os cubra com seu mantO e que tudo seja perfeito…. Sei que é dificil, mas desencana um pouco de tudo e viva este momentolindo da vida sua familia… Beijos….monica& olivia