Parto Normal Sim. A qualquer Custo Não

IMG_4074

Estou escrevendo esse post com o coração transbordando de emoção. Ontem passei por mais uma consulta de pré-natal e saí do consultório pensando muito, muito emocionada, e com algumas decisões e escolhas a fazer que não havia parado para pensar tão seriamente até o momento. Foi uma consulta que parece que fez cair a ficha do quão perto está a chegada do Yuri, de que minha vida mais uma vez vai virar de ponta cabeça, e de que nada mais será igual ao que foi até agora.

Meus filhos. Ainda não me sinto familiarizada em dizer meus filhos. Será que demora para todas que são mães de dois, três, quatro, cinco ou mais se habituarem com esse novo título?

Eu já contei aqui que o parto na Marina não foi uma experiência incrível. Fora o fato de ter sido o dia em que conheci o rostinho da minha filha, e isso é algo que esperamos muito para acontecer, a experiência como um todo foi um tanto frustrante, e conforme o tempo foi passando eu sabia que queria que com o meu próximo filho as coisas fossem diferentes.

A primeira coisa que fiz foi procurar outro profissional. Por indicação de uma amiga fui fazer uma consulta de rotina com a Dra. Luciana Taliberti para ver se “o santo batia” e foi amor à primeira consulta…rs. a Dra. Lu é super alegre, falante, acolhedora, carinhosa e me identifiquei logo de cara, o que não aconteceu nunca com minha médica anterior.

Falei do meu desejo de engravidar de novo, de ter um parto normal, da minha experiência com o parto da Marina e a vida seguiu.

Depois de um pouco menos de 1 ano após a minha consulta de rotina me descobri grávida do Yuri, e aí começaram as consultas de pré-natal.

Logo na primeira consulta conversamos muito sobre parto humanizado, parto natural, parto normal, cesárea. Gostei muito da postura da Lu, que me deixou muito claro que ela apoiava muito o parto normal, que gostaria de fazer mais partos normais do que faz, mas que não aceitava esse procedimento a qualquer custo. Bebês pélvicos, com cordão enrolado no pescoço, pós 40 semanas seriam situações onde um parto normal seria sim possível, mas que ela não fazia. Não se sentia segura e nessas condições não fazia. Eu achei essa franqueza ótima! Porque para mim, que sempre desejei muito um parto normal, também não faria nessas situações. É um risco que eu não assumiria, independente do profissional que estivesse me acompanhando.

Nessa consulta também falamos sobre o papel da doula e ela me orientou, a se realmente quisesse um parto normal, entrar em contato com uma profissional por volta da 26ª semana.

E ontem fui para a consulta, completando 26 semanas de gestação, e esse assunto veio à tona novamente, mas dessa vez de forma mais real e mais próxima da realidade.

Até uns 15 dias atrás eu tinha certeza de que o parto normal seria a melhor opção para mim, se tudo corresse bem e isso fosse o melhor para mim e para o Yuri. Até que a tal da hemorroida, que comentei no post sobre os incômodos que duas gestações me trouxeram, inflamou e passou por dias me incomodando muito e só regrediu com o uso de medicamento. Comentando sobre o quanto eu estava desconfortável com minha mãe, ela me questionou se essa situação não iria piorar no parto.

Eu nunca tinha pensado nisso, mas anotei no meu caderninho de perguntas e levei esse ponto para a consulta de ontem.

Como sempre, a Lu foi super honesta e me disse que isso não seria impeditivo para um parto normal de forma alguma, mas que sim, existia uma probabilidade grande da bichinha piorar e isso me trazer alguns incômodos no pós parto. Foi quando comecei a refletir se o momento mágico de um parto normal que eu imagino (só esclarecendo que não penso em um parto natural, pois não sou muito tolerante à dor) valeria a pena, pensando no pós parto.

Eu sou uma pessoa prática e realista gente, e não costumo ficar romantizando e floreando as coisas.

Imagino que em qualquer situação ou tipo de parto que eu escolha não será fácil o período de adaptação com um bebê e uma criança em casa. A Nina tem se demonstrado extremamente carinhosa com o irmão, mas também muito carente de atenção e carinho. Me imagino em situações práticas do dia a dia. Amamentando o Yuri e a Nina querendo atenção, os dois chorando ao mesmo tempo, colocando um para dormir enquanto o outro não quer dormir… enfim, coisas do dia a dia que sabemos o quanto nos desgastam. Aí somo isso à poucas horas de sono, a amamentação que consome muita energia da mãe, e ainda mais uma bendita hemorroida doendo!!!! Eu sei o quanto isso incomoda e atrapalha as atividades do dia a dia sozinha, em casa com um RN sei que isso se intensifica! Não é ser pessimista, é ser realista e saber que na maternidade nem tudo são flores.

Fora isso, tem ainda o risco de eu precisar passar por um processo cirúrgico depois uns meses ou anos, que seja, e ficar longe por uma ou duas noites em um hospital, e ainda ter que passar pelo pós operatório, que sei muito bem que não é tão simples.

Enfim, não tomei minha decisão ainda. Quero esperar a barriga crescer um pouco mais e ver se esse problema irá se agravar ou será algo possível de gerenciar. Quero ler e pesquisar mais sobre isso também. Mas fiquei muito tranquila quando ouvi da boca da minha médica, alguém que confio e admiro, vendo minha preocupação e minha aflição, e sabendo o quanto minha primeira experiência não foi bacana, que não importa qual seja a minha escolha, o que ela me garante é que minha experiência será outra e especial de qualquer jeito!

Conversamos ontem também sobre as intervenções logo no nascimento do Yuri e já sei que algumas serão totalmente desnecessárias, independentemente do tipo de parto. Isso me tranquilizou também.

Por enquanto não vou contatar a doula, preciso esperar mais um pouco e refletir sobre a parte prática disso tudo. Acho que como mãe de primeira viagem, não me faltaram informações, pois muito do que vivo e aprendi hoje veio em função da experiência, de pessoas que conheci, de coisas que aprendi, que não teria como ter aprendido há quase três anos atrás.

Eu achava que o problema do parto da Nina tinha sido o tipo de parto. Mas hoje vejo que não. O problema foi eu ter sido colocada como coadjuvante em um momento em que teria que ser a atriz principal! E hoje eu tenho me apegado a isso. A saber que EU tenho a possibilidade de escolher, o que não tive no parto da Nina.

Quero deixar claro que não estou defendendo qualquer escolha. Estou somente refletindo a minha situação e a minha realidade e estou muito aberta à comentários, opiniões e relatos de experiências que possam me ajudar a pensar e tomar minha decisão.

Tenho certeza que não é a forma que nossos filhos chegam ao mundo que determina a mãe que seremos para eles e o tamanho do nosso amor. Quem me acompanha sabe do amor que tenho pela Nina, mesmo sabendo que a sua chegada não foi da forma que havia idealizado. Mas a maternidade tem disso né? Não temos o controle de tudo. É viver e aprender a cada dia.

Enquanto isso minha cabeça fervilha. Comentários, comentários, comentários, please!!!!!

Beijos – Mari

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

44 comentários

  1. Renata comentou:

    Mari, vc gostA de sinceridade… Eu amei minha cesarea! Sem dor, cicatrização rápida Enfim, só bemeficIos para mim. Não tenho tolerancia a dor, mas esPerei meu baby querer nascer e nao marquei o Parto. Diante de tudo que vc comentou, voto, com certeza, na cesarea… ConfOrto, sem dor, cicatrizaçao rapida! Respeito e admiro muuuito as defensoras de parto normaL, guerreiras por natureza, mas eu nao sou nao! Boa hora para vc! Bjos

    1. Re, eu entrei em TP na gestação da Nina, mas minha recuperação não foi tranquila como a sua, e por isso ainda tenho dúvidas. Estou pesando tudo na balança para tomar uma decisão. Beijão

  2. Caroline comentou:

    MARI, MEU FILHO NASCEU PREMATURO, ENTREI EM TP. É MARAVILHOSO ENTRAR EM TP, MAS A SITUAÇÃO NÃO ERA FAVORÁVEL A UM PARTO NORMAL, ELE ERA PEQUENO E FRACO, ENFIM, EU ESCOLHI IR PRA CESÁREA PQ NÃO AGUENTARIA A AGONIA DO MENINO NA MINHA BARRIGA O DIA TODO ESPERANDO DILATAR. MINHA RECUPERAÇÃO FOI SUPER RÁPIDA E NÃO LEMBRO DE TER SENTIDO DOR, JÁ QUE MINHA DOR ERA VÊ-LO INTERNADO. PASSA O DIA SENTADA NUMA CADEIRA DE PLÁSTICO, INDO E VOLTANDO DO BANCO DE LEITE… MEU DIA ERA SIMPLESMENTE: TROCAR FRALDA, AMAMENTAR, TIRAR LEITE, TROCAR FRALDA, AMAMENTAR, TIRAR LEITE… MUITO DESCONFORTÁVEL, SEM UM BANHEIRO DECENTE, SEM UMA CADEIRA, UMA ALMOFADA QUE FOSSE. MAS NÃO LEMBRO DE TER SENTIDO DOR, A NÃO SER A DO CORAÇÃO SOFRENDO. QUANDO ELE FOI PRA CASA, 10 DIAS DEPOIS, EU CONTINUEI SEM SENTIR DOR…TAMANHA ERA MINHA ALEGRIA DE TER MEU FILHO EM CASA! PR PRÓXIMO EU ADORARIA TER UM PARTO NORMAL, MAS NÃO SEI SE TENHO FORÇAS, CORAGEM, NÃO SEI… DECIDI ENTRAR EM TP NOVAMENTE E VER O QUE DÁ NA HORA,,, SRSR… BOA HORA PRA VOCÊ, QUE O YURI FIQUE MUIIIIIITOOO TEMPO AÍ DENTRO ESPERANDO E AJUDANDO VC A DECIDIR O QUE VAIS ER MELHOR PRA VOCÊS… BJIM!

    1. Carol, eu vivi essa experiência também. A Nina ficou 3 dias na UTI e é realmente extremamente desgastante o processo de banco de leite. Eu fiquei um caco! E a expectativa de ter o nosso bebê ao nosso lado vai desgastando muito emocionalmente. Isso porque não fiquei nem 1/3 do tempo que você ficou nessa rotina. Eu entrei em TP quando a Nina nasceu, mas não me deram opção, apesar de hoje eu saber que eu poderia ter tentado. Muito obrigada pelo seu comentário. Beijos

  3. giovanna ferrari comentou:

    mari!!! adorei o post..
    então, vou te contar como foi minha experiência com o meu parto normal.. eu amei… conversei com o meu médico desde quando descobri que estava grávida da minha vontade de fazer o parto normal, e ele disse que eu tinha todas as chances de conseguir pelo fato de ser nova tinha 17 anos, e que ele me ajudaria a trabalhar com isso durante a gravidez pra facilitar na dilatação, e isso foi feito, me exercitei bastante até onde aguentei, abaixa, levantava, vim arrumar meu apartamento todinho e pintar os rodapés com quase 9 meses hahaha e quando tive minha ultima consulta já estava com 1 dedo e meio de dilatação isso foi em uma sexta, quando foi no domingo de madrugada dei entrada no hospital as 02h da manhã, me encaminharam pro pré parto e ali comecei a entrar em trabalho de parto, fiquei 1 hora e meia sentindo dores, me colocaram no soro com remédios pras contrações aumentarem, mais fui realmente sentir ”fortes” dores quando romperam minha bolsa, me colocaram no banho e disseram que quando eu sentisse vontade de fazer o ”number two” minha princesa estava pronta pra nascer, juro… fiquei uns 15 minutos no banho e a vontade veio, fui andando pra sala de parto, e logo minha filha nasceu, é uma dor sim que nem tenho palavras pra descrever, minha filha nasceu as 06h04 da manhã do domingo…. foram horas de dor mais que digo que com certeza valeram a pena, não tenho o que reclamar do meu parto.. porém, dessa vez to com medo pelo fato de já saber como é, e me sinto apreensiva…
    não sou contra a cesárea!!!
    mais pelo fato da minha recuperação ter sido muito rápida e sem dor (e todo mundo faz bicho de sete cabeças falando que a cesárea dói muito no pós.. medo kkkk..) quero muito conseguir o normal de novo!!
    beijos e nem preciso dizer o quanto amo o seu blog heheheh…
    e ah!! estou grávida de um babyboy também, e de 26 semanas também rsrs, vou continuar te acompanhar por um longo tempo, me aguente nos comentários em rsss..
    beijos beijos!!

    1. Gi, nossos babies vão nascer praticamente juntos!!! rs. Olha, minha recuperação da cesárea não foi da mais tranquila não. senti bastante dor e estou pesando muito isso na minha tomada de decisão também. Adorei seu relato!!!! Muito obrigada pelo carinho. Beijão

  4. eu compartilho da sua opinião, respeito a opinião das defensoras e acho, sinceramente, que é necessário, pois a luta delas é tambem pelo direito das mães que querem um pn e não conseguem, ou seja, tem condições mas não conseguem pelo simples fato de que os médicos acham mais pratico agendar uma cirurgia. mas eu, assim como vc, gostaria de um pn do meu segundo dentro do que eu considero seguro pro meu corpo, dentro das minha condição psicologica. faça o que seu coração mandar, ele sempre acerta! Boa hora!

  5. Caroline comentou:

    NOSSA! ACABEI DE LER O PARTO DA NINA.. O MEU FOI SUPER PARECIDO.. QUE DOIDO… ATÉ CHOREI! HAHAA… MAS MEU FILHO NASCEU COM EXATAS 35 SEMANAS, COM 1975KG E 41CM. ERA PEQUETITICO!!!

  6. Mariana Couto comentou:

    Mari, eu também tive duas crises super intensas e dolorosas de hemorroidas nessa gestação e já tinha problemas com isso antes de engravidar. Quero muito o parto normal e me desesperei vendo minha situação com essas “benditas” que mal me permitiam andar. Chorei de dor e em imaginar como seria meu parto naquelas condições, pois cesárea pra mim só Como última opção e a muito contragosto (morro de medo de cirurgia, da anestesia e odeio pensar no pós parto!).
    Usei medicamento e melhorei muito; o edema ainda ESTá lá, embora não doa.
    Troquei de obstetra 2 vezes e estou prestes a parir (38s), e até agora estou super bem, sem sentir nada.
    Mas algo que fez muita diferença: contratei uma doula e uma enfermeira obstetra que estão me acompanhando e me dando um suporte incrível, me deixando mais calma, segura e confiante. Esse sistema de apoio é super importante, não o substime.
    Espero que tenha ajudado!
    Beijos!

    1. Mari, obrigada pelo seu comentário!!!! Estou ainda pensando no tema doula e tenho certeza que o papel delas é muito importante!!!! Só acho que se eu optar pela cesárea, talvez seja um custo alto que não sei se será necessário. Mas você me fez refletir em falar com a doula sobre isso. Já estou com o contato dela e vou aciona-la. Beijos!!!!

  7. jessica comentou:

    Marii,
    Meu parto foi narmal e perfeito,mimha bolsa estorouas 4:30 da manha ,quando foi 5:30 minha bb nasceu ,foi lindoo =) aa minhas dores foram como uma colica .

  8. Luciana comentou:

    OLÁ. SOBRE SEUS MEDOS, EU QUERIa TE COLOCAR UMA NOVA QUESTÃO PRA VC PENSAR… SERÁ QUE A RECUPERAÇÃO DA cesária será mais fácil do que uma possível complicação da hemorroida? Pq entendi seu receio, o pos parto é um.periodo punk, ainda mais se ja tiver um filho, a mulher que estiver bem fisicamente leva melhor a situaçao. Eu sou apoiadora do parto normal. Queria que todas as mulheres tivessem a oportunidade de passar por este momento. Pq o meu parto foi incrível, parir foi o maximo! Pense nisso ;)

    1. Eu ainda quero muito tentar, mas estou pesando exatamente isso que você falou, já que não tive uma recuperação fácil da cesárea da Nina, mas sei que não é normal eu sofrer como sofri. São dois pesos e duas medidas e os comentários do post de hoje estão me ajudando muito a refletir. Muito obrigada pelo seu comentário Lu! Beijos

  9. Vivi comentou:

    Oi Mari,
    Li seu relato e entendo muito o que vc está sentindo…tive 3 filhos e 3 partos cesáreas (cada um de uma maneira diferente). Acho que o mais importante vc já tem: uma médica em quem confia. a minha médica, que fez o parto dos 3, é meu anjo, amo, adoro, e sou eternamente grata pelo apoio, carinho e compreensão nas minhas “gravidezes”…rsrs
    Acho que o que vc tem que fazer é isso mesmo, espere a gravidez passar mais um pouco e veja como esse “incômodo” se comporta. não é o tipo de parto que define ser boa mãe ou não, o mesmo acontece com a amamentação. Tem mãe que consegue amamentar exclusivamente até os 6 meses, outras não e por mil razões (alheias a vontade dela), e ela será menos mãe por isso? de jeito nenhum né….tem muito julgamento por aí de pessoas que nunca passaram por problemas em uma gestação/amamentação/parto e etc…
    muitas coisas podem acontecer durante o parto e ter uma médica parceira, que te ouve e entende é tudo!! certeza que vc tomará a melhor decisão pra vc e sua família! é isso que importa…o resto, esquece!! bjs

    1. Obrigada Vivi! Acho que dessa vez a situação já começou diferente. Hoje que tenho base de comparação vejo o quanto a postura da minha médica anterior e da atual são diferentes. Tenho muita confiança de que será outra experiência e vou ter uma linda história para contar. Beijos

  10. Tatiana Ferrari comentou:

    Fiz cesária e faria de novo! Não tive qualquer problema de recuperação! Admiro quem faz parto normal, mas para mim, pro meu corpo e meu psicológico, não dá!!!!
    No mais, Mari, faça o que seu coração mandar e “escute” seu corpo! vai dar tudo certo! bjokas

  11. Silvia comentou:

    Mari,
    Li o posto do parto da nina,em alguns momentos me identifiquei, eu sempre tive ideia de parto normal, me preparei para isso(mais psicologicamente do que fisica kkk), Como queria normal, tambem não marquei cesaria deixei minha pequena escolher o dia que chegaria,mas a vida é muito doida e no dia em que fechei 40 semanas(com uma bebe super saudavel e quietinha….rsrs) comecei a ter dores as 4hs da manha, as 9hs decidi ir para a maternidade,me examinaram e viram que eu ja estava com 2 dedos,ok! vamos lá! fui internada e começamos a monitorar…as dores foram ficando cada vez mais fortes,porem suportáveis, as 17h(veja bem 13 horas de trabalho de parto) as dores já estavam no nível 7,só que a dilatação não passava de 3 dedos.Não quis tomar medicamento para induzir, como ela estava bem queria deixa-la decidir. As 20h com as dores no nivel 9 resolvi iniciar com a indução, antes me colocaram no banho e nessa hora que tudo mudou, quando chegamos no banho, o tampão caiu(sinal de que estava bem proximo),continuei lá por alguns minutos,e aí minha bolsa estourou!! lembro que estava com minha mãe e uma enfermeira, elas se olharam e a enfermeira saiu na mesma hora para chamar um medico que não era a minha!!!! nessa hora não sei explicar mas travei total,minhas pernas não respondiam,me colocaram na cadeira de rodas e me levaram direto para o map,ãh?!pra que? pensei,….nisso minha medica tinha sumido do mapa, pois ninguem achava ela,quando a enfermeira me disse que eu estava indo para a sala de pre parto me preparar para cesaria, pois meu bebe estava em sofrimento fetal tive um choque!!!!!!!como!!!!!!!!!!! e aí foi tudo muito rapido, não lembro direito de nada,lembro que pensava que meu marido não estava ali, que até aquele momento todos diziam que estava tudo bem,pensava nela, em como estava dentro de mim.deitei na maca com muito medo,a enfermeira me falou que a bolsa estourou com meconio e isso estava colocando o bebe em risco, como não acharam minha medica,o medico do hospital veio fazer a cesaria,(graças a deus o marido já estava lá e eu nem tinha visto,a loka) e aquele momento magico de novela que todo mundo sonha não aconteceu, em 60 segundos eles me abriram e eu só rezava para ela chorar e ela chorou…pouquinho mas chorou, as 21h29 minutos ela nasceu, só a vi por uns momentos,pois foi direto para encubadora e lá ela ficou por quase 3horas!!! queria morrer, toda excitação e felicidade se misturavam a preocupação do que poderia estar acontecendo! Quando ela veio para mim estava linda,rosinha e segundo a pediatra estava bem, recebeu nota 9,ficou em observação aquele tempo apenas para tirar qualquer duvida, ela pegou o peito direitinho mamou como louca e dormiu a noite toda.
    Foi isso!!! minha VAlentina nasceu de cesaria depois de 17 horas em trabalho de parto, não sei se me arrependo, fiquei chateada pois me senti sem informação, sozinha, não falaram nada,e sempre me mostraram que ela estava bem,o que depois conversando com a medica(a pediatra pq a minha nem deu as caras) fiquei sabendo,como não tive dilatação para fazer ela sair isso fez com que ela ficasse cansada dentro da barriga,por isso o meconio.
    Quanto a recuperação,bom eu odeio sentir qualquer dor, mas posso dizer que foi tranquilo,dentro do possivel kkkk
    essa foi minha experiencia. Não sei se na próxima gravidez vou forçar o parto normal como fiz na da VAlentina,não fui bem orientada,queria o parto,me diziam que era possivel,então segui,se eu soubesse que com todo aquele tempo estava colocando ela em risco,jamais teria deixado, teria feito a cesária,me senti sem informação.
    Siga seu coração,mas sempre esteja com alguem que entenda da situação.
    Adoro teus posts e acho que teras um parto lindo,seja como for.Boa hora bjus

    1. Nossa Sil, fiquei arrepiada com o seu relato! Muito obrigada por compartilhar. Para mim é um exemplo claro de que não existem regras de que o PN sempre vai ser a melhor opção. É ainda um exemplo de que em ambas as situações a falta de informação e orientação pode pesar e trazer consequências. Graças a Deus a Valentina nasceu saudável e está bem!!!!! Eu nunca tinha ouvido nada parecido!!!!! Beijos com carinho!!!!!!

  12. OI
    até que enfim Um relato cOnsciente…. Me desculpe mas estou canSada de ver só flores…
    pN é MAGNIFICO e eu como enfermeira defeNdo sim!!!
    Mas não a qualquer custo… Não em qualquer lugar!!
    A saúde da mãe e do filho vem primeiro!!
    Se pegarmos dados ESTATÍSTICOS vamos observar como nos ÚLTIMOS 20anos DIMINUIU a morte de mãe r Filho em partos.
    Eu PARTICULARMENTE acho uma loucura ter um filho Em casa a menos que vc trnha uma uti.. COMPLICAÇÕES acontecem a todo momEnto e ai vc vai arriscar a sua vuda e a do sEu filho.
    Se vc esta dentro de um hospital os procedimEntos em uma POSSÍVEL COMPLICAÇÃO sÃo mais facEis e seguRo!!!
    PARABÉNS!!
    E tome a DECISÃO que te deixar mais segura.
    BEijos
    Camila @maeseciaa

    1. Eu não julgo, mas não consigo nem imaginar um parto em casa. Sou muito medrosa e prefiro me precaver ao máximo! Mudei inclusive a opção de maternidade que havia escolhido por conta da primeira opção ter poucas salas de parto e eu ter medo de não demorar a ser atendida. Obrigada pela mensagem. Beijos

  13. tatiana comentou:

    Oi mari! ja estava com saudades!!

  14. Luciana comentou:

    Ma, várias amigas são pacientes da dra. Lu! todas as adoram. Vc está em ótimas mãos.
    entrei em tp com 32 semanas de gestação, fiquei 5h em tp.não sei o quanto dilatei pq como já tinha rompido a bolsa há uma semana, meu médico optou por não fazer exame de toque. Foi césarea pq Manu estava sentada e era prematura. Não queria q ela corresse risco nenhum. Foi muito tranquilo, recuperação ótima. Tinha pretensão em fazer parto normal, mas em nenhum momento me culpei por não ter sido o que imaginei. e hoje posso te dizer q não sei se tenho forças pra ter parto normal depois de ter passado pelas 5h de tp. Eu estava cansada demais, não sei se aguentaria.

    1. Jura? Que legal! Estou amando a Lu!!!! Eu gostaria de tentar o PN. Essa questão da hemorroida é algo que está pesando na minha decisão, mas o que me deixa tranquila com a Lu é que se eu mudar de ideia no meio do trabalho de parto ela me apoia a ir para uma cesárea também. A decisão é totalmente minha, desde que não exista riscos. Muito obrigada pelo comentário! Beijos

  15. Neima comentou:

    Mari, vc sabe que sou super defensora do PN. As duas experiências que tive foram ótimas, e atribuo muito disso à confiança que tenho na minha médica. Não dá pra querer ser radical pra nenhum dos lados (cesárea ou PN), pois as duas “formas” de se vir ao mundo são absolutamente necessárias. Cesárea é uma cirurgia e ela veio como uma opção técnica para auxiliar a chegada ao mundo de tantos bebês.
    Acho sim que o empoderamento é um direito de todas as mulheres, não podemos aceitar sermos meras coadjuvantes num dos momentos mais especiais das nossas vidas. O meu inconformismo quanto às cesáreas se dá porque vi muitas pessoas próximas serem completamente enganadas por médicos irresponsáveis, que colocam o comodismo no lugar mais alto da carreira. Ora, se não quer fazer PN, por que raios foi se especializar em obstetrícia?? Enfim, seja qual for a sua decisão, vc já está munida da coisa mais importante que te fará optar pelo melhor caminho: é você quem tem de escolher.
    Se quiser conversar com mais detalhes, me chama no whatsapp.
    Bjs!

    1. Pois é. No parto da Nina eu fui coadjuvante. Esse foi o problema, não o tipo de parto. Os comentários estão me ajudando muito a refletir!!!! Beijo para você e seus meninos lindos!!!!

  16. Layla lessa comentou:

    Com 39 semanas pedro estava com Uma tripla circular no PESCOÇO, eu estava pronta pra tudo…partimos pra CESÁREA e foi otima, na hora da cirurgia meu medico coloCou uma musica de ninar!!! Foi lindoooo… Fiz o melhor pra ele!!! Bjooo

    1. Que lindo a música!!!! Nessa situação eu também faria uma cesárea, sem dúvidas! Beijos

  17. ilanna comentou:

    Oi, Mari!
    PRIMEIRAMENTE GOSTARIA DE DIZER QUE GOSTO MUITO DO SEU BLOG, VOCÊ EXPÕE AS SITUAÇÕES DE FORMA TÃO SINCERA E SIMPLES ONDE ME IDENTIFICO COM AS SITUAÇÕES DO DIA A DIA.
    TENHO 25 ANOS E 2 FILHOS, O TIAGO DE 4 ANOS E 10 MESES E A FERNANDA DE 2 MESES, O PARTO DOS DOIS FORAM CESARIA . TIVE UMA RECUPERAÇÃO ÓTIMA DAS DUAS, A SEGUNDA FOI MELHOR QUE A PRIMEIRA (ACHO QUE PORQUE TEM O MAIS VELHO PRA GENTE SE PREOCUPAR).
    NA GRAVIDEZ DA FERNANDA O TIAGO FICOU MUITO EMPOLGADO, FAZIA CARINHO NA BARRIGA, ETC. ANTES DE ENGRAVIDAR ELE PEDIA UMA IRMÃ E DIZIA QUE O NOME DELA SERIA FERNANDA E ASSIM FOI… TENHO MUITO PRA COMPARTILHAR SOBRE O RELAÇÃO DOS DOIS, MAS VOU TE CONTANDO AOS POUCOS.
    AMO SER MÃE E NAS PRIMEIRAS SEMANAS FIQUEI MUITO FRUSTRADA POR NÃO CONSEGUIR DAR A ATENÇÃO PARA O TIAGO COMO ANTES, CHOREI MUITO, FOI DIFÍCIL, MAS CONSEGUI SUPERAR COM O APOIO DO MEU ESPOSO QUE ME AJUDA BASTANTE. TAMBÉM TEMOS QUE APROVEITAR O MOMENTO COM A RN E NÃO DÁ PRA FICAR PERDENDO TEMPO COM ESSE SENTIMENTO DE CULPA ACHANDO QUE NÃO VAI CONSEGUIR.
    qUE DEUS ABENÇOE VOCÊ E SUA FAMÍLIA TUDO DE BOM E QUE O YURI VENHA COM MUITA SAÚDE!
    OBRIGADA POR COMPARTILHAR SUAS VIVENCIAS CONOSCO!!

    BEIJOSS

    1. A minha recuperação da cesárea da Nina foi bem sofrida nos primeiros dias, mas ainda assim tranquila. Adorei seu comentário e quero saber da relação dos dois sim!!! esse assunto muito me interessa. Muito obrigada pelo carinho. Super beijo!

  18. kamila comentou:

    Mari, faz pouco tempi que acompanho seu blog e estou amando, tenho uma filha de 2 anos e 3 meses e meu parto foi cesarea.nao me arrpendo porque sou mega ansiosa e acho que nao conseguiria un parto normal.admiro quem consegue,mas de forma tranquila, sem intervencoes.
    mas o que maia gostei foi dizer que somos maes independente da maneira que damos luz, infelizmente muitas pessoas acham que apenas sao maes de verdade que o parto for normal,se amamentar ate 2 anos e outros assuntos polemicos. Bjo

    1. Muito obrigada pelo carinho Kamila!!!! Realmente esses fatores não interferem em nada. Todo mundo é mãe, cada uma com suas escolhas. Beijos

  19. mari gentile comentou:

    Como faz diferença ter.uma médica como a dra.lula. Fiz cesarea com ela (minha pressão estava altíssima no fim da.gravidez e ela tb me.falou que não era impeditivo para o parto normal mas que eu tinha que estar tranquila. Não estava kkk. A cesarea com a lu e equipe foi a.experiência mais linda e especial da minha vida. Vivo falando que a Agatha nasceu de uma cesarea humanizada. Seja qual for o tipo de.parto com a LU será mais.que especial! Bjooo GRANDE na nina, Yuri e.em vc! Bjoooo Mari

    1. Mari, sua dica foi de ouro!!!! Estou amando cada consulta e a forma como a Lu conduz as coisas. Super beijo para vocês também!!!

  20. Janaina comentou:

    eu tive um pósparto horrível por causa da hemorróida..fazia banhos de assento e usava pomadas para poder sentar e amamentar minha filha. o uso de absorvente me fazia chorar mari, mal conseguia sentar…isso afetou minha produção de leite e fiquei com problemas de herromóida até hj…reflita com carinho, pois sei que aguentamos qualquer coisa pelos nossos filhos. com certeza c fará a melhor escolha. boa sorte!!

    1. estou refletindo bastante! vocês estão me ajudando muito a pensar e tomar essa decisão de forma tranquila. Obrigada pelo carinho! Beijos

  21. Marcela comentou:

    Mari, EU nunca fui tolerante a dor por isso nem cogitava parto normal,mas eis que com 36 semanas minha bolsa rompeu e ao chegar no hospital, uma hora depois, estava com dilatação total e bebê coroando, como eles dizem,foi parto normal logicamente, e foi ótimo, rapido e quase sem dor, porém eu acho que isso é normal, natural, não forçar como muitas fazem ou esperar passar da hora, o próprio nome diz, normal, se impõe sofrimento demais a mãe e bebê, não é normal. E sofri de hemorroidas também, pioraram com o parto, mas nada que não pudesse ser controlado. Portanto, dê um tempo a você e não encane com escolha do parto,será o que for melhor para vcs, ninguém é menos mãe por fazer cesárea ou por não conseguir amamentar..beijo

    1. Oi Má, muito obrigada pelo seu relato!!!! e que maravilhosa sua experiência heim… beijos

  22. Camilla comentou:

    Eu me consultei com a Dra. Luciana e ela me fez sentir muito segra. Realmente quando a conheci sabia que a minha gestação daria tudo certo.
    Ela é excelente.

    1. A Dra Lu é o máximo! Um ser humano tão incrível não podia ser um profissional diferente!