Parto Humanizado

Eu já contei para vocês como foi o dia do nascimento da Nina e que acabei partindo para uma cesárea, apesar de não ser o que havia planejado. Eu nunca cogitei um parto humanizado, pois achava que a anestesia não fazia parte do procedimento e não sei se seria forte o suficiente para abrir mão. Mas a anestesia pode sim existir em um parto humanizado e passei a considerar a possibilidade para um próximo filho. E hoje o tema do post é esse, com um texto de uma das redatoras da Tricae, trazendo um pouquinho de informação sobre este tema, ainda muito obscuro para tanta gente. Espero que gostem :-) Mari

parto-humanizado-tricae-1

Olá pessoal, meu nome é Juliana e sou redatora do blog e do site da Tricae, além de dar meus pitacos no instagram Tricaebr. Hoje venho a convite da Mari para falar um pouco sobre um tema que tem ganhado bastante relevância nos últimos tempos: o parto humanizado.

No último século, principalmente a partir da segunda metade, o parto cesárea ganhou muita popularidade e aqui no Brasil esse procedimento representa mais de 40% dos partos realizados. Apesar de ser uma cirurgia simples para os padrões atuais da medicina, muitas mulheres preferem ter seus filhos de maneira natural, mas muitas vezes são induzidas por seus obstetras a realizarem uma cesárea.

O problema é que muitas dessas mulheres se queixam que não havia uma real necessidade de fazer este tipo de procedimento e, mesmo contra a vontade delas, isto acaba acontecendo, já que a palavra do médico acaba muitas vezes sendo determinante na escolha do tipo de parto a ser realizado.

Com isso, diversas correntes surgiram para defender o parto natural, ou mesmo o chamado parto humanizado.

parto-humanizado-tricae-2

Mas, afinal, o que é parto humanizado? O termo é relativamente novo, mas significa que o parto seguirá as vontades da mãe, em um local onde ela se sinta bem. Claro que a segurança da mãe e do bebê são fundamentais, por isso, o acompanhamento de um obstetra é indispensável. Uma luz baixa, uma música tranquila, uma companhia escolhida por ela, são fatores que definem um parto humanizado.

Um parto humanizado começa com o acompanhamento regular de um médico. Todos os exames pré-natais devem ser feitos com regularidade e o especialista dirá quais são as opções para o nascimento. Caso tudo esteja bem com o bebê e com a mamãe, o parto humanizado passa a ser uma opção viável.

Caso a gestante opte por este procedimento, é necessário ter em mente de que um plano B deve estar traçado, caso qualquer problema surja e a intervenção cirúrgica se torne necessária.

O que diz o Ministério da Saúde?

Diversos estudos apontam que um parto humanizado reduz bastante a mortalidade neonatal, por isso, o Ministério da Saúde recomenda este tipo de procedimento, desde que seja feito em moldes seguros. Além disso, o uso excessivo de medicamentos como analgésicos e anestesias não tem se mostrado tão seguro o quanto se imaginava, apesar de muitas maternidades ainda optarem pelo procedimento da cesárea.

É possível fazer um parto humanizado utilizando o SUS?

Como muitas gestantes não têm condições de pagarem por um hospital particular, elas acabam recorrendo o SUS (Sistema Único de Saúde). O problema é que nós sabemos a situação da saúde pública brasileira, que está longe de oferecer uma infraestrutura capaz de garantir o básico para nós, brasileiros. Mas, muitas maternidades já estão prontas para realizarem o parto humanizado através do SUS. Assim, mesmo a mamãe que não conta com um serviço particular, terá o poder de decidir o procedimento do parto.

Mas, a certeza de um parto humanizado depende do aval da equipe médica, que vai avaliar cada detalhe da mamãe e do bebê, a fim de garantir a segurança de ambos.

Espero que tenham gostado! E conte-nos sobre a sua experiência com o nascimento do seu pequeno. Até a próxima!

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.