Retrospectiva: O Nascimento da Marina

Meninas, adorei a interação e a participação de vocês no post sobre a descoberta da minha gravidez. Várias histórias legais!!!! Obrigada por dividirem a vida de vocês comigo também. E continuando minha retrospectiva, hoje vou falar sobre o nascimento da Nina, um momento especial e inesquecível!!!!

Desde o dia que descobri que estava grávida desejei muito que a Nina nascesse de parto normal e me cuidei muito para tornar isso possível. Me alimentei direitinho, engordei pouco, fiz hidroterapia e drenagem linfática, e me permiti ser muito mimada. Coisas que dificilmente se repetirão na mesma proporção na próxima gestação. Não tinha nenhuma objeção caso a cesárea fosse necessária, mas minha obstetra não impôs qualquer restrição para que isso acontecesse e por isso não marquei data para nada.  Decidimos que esperaríamos a Nina dar os sinais de que queria me conhecer pessoalmente. O meu plano era trabalhar até o final da 37ª semana e depois descansar em casa. Esse era o plano… tanto para o parto, quanto para o dia em que sairia de licença.

No dia 07/07/2012 completei 36 semanas (um sábado) e fui jantar com o marido, a irmã e o cunhado em um restaurante japonês. Neste dia teve uma luta do Anderson Silva super esperada e por isso minha irmã e cunhado dormiram em casa, pois os homens assistiriam a luta, e as mulheres ficariam fofocando… por pouco tempo, já que eu desmaiava de sono em qualquer canto do nada… hahahahahaha.

Fui dormir e por volta das 2 da manhã do domingo acordei com dores, o que não era novidade nessa reta final. Andei pela casa, minha irmã ficou preocupada e perguntou se a Nina ia nascer. O meu marido que já estava acostumado pediu que ela não se preocupasse, pois aquilo era super normal. As dores aumentaram e eu comecei a sentir contrações, diferentes daquelas de treinamento que vinha sentindo há um bom tempo. Como eu não encontrava posição, fui tentar dormir na poltrona de amamentação, que era onde eu me sentia mais confortável. Levei meu celular comigo e vi que as contrações estavam vindo em um intervalo de 7 minutos aproximadamente.

Às 3 da manhã voltei para o quarto e falei para o marido que achava que tinha entrado em trabalho de parto. Pegamos nosso material do curso de gestantes, ele entrou na internet, começou ler alguma coisa e começou o diálogo:

Marido: Quanto tempo de intervalo?

Eu: 5 minutos

Marido: Hum, é um sinal… Quanto tempo tá durando cada uma

Eu: uns 20 segundos

Marido: Hum, é um sinal

Eu: to lendo aqui que a região da dor é um sinal também. Será?

Marido: mas aqui tá dizendo que tem que monitorar por uns 40 minutos para ter certeza

Eu: mas já estou monitorando há mais de 1 hora… só que o intervalo estava maior

Marido: Vamos esperar mais 10 minutos então

Dois doidos né gente? hahahahahahaha. Monitoramos mais 10 minutos e achamos melhor ligar para a maternidade. O marido ligou, explicou tudo e a enfermeira disse que eu poderia estar em trabalho de parto sim, e que era melhor ir lá para checar.

A essa altura eu tinha a mala da Nina prontinha, mas nada meu pronto. Falei para o marido que achava que era alarme falso, pois naquela madrugada eu ainda estaria entrando na 37ª semana, mas que por precaução era melhor levar os papéis da internação que a médica havia me dado há três dias na última consulta. Nesta consulta a médica também havia dito que a partir da 37ª semana a Nina poderia vir a qualquer momento, mas acho que ignorei essa informação e considerei que a Nina não nasceria antes da 38ª semana.

Chamamos minha irmã e o cunhado e pedimos que eles ficassem tranqüilos, pois COM CERTEZA era alarme falso e voltaríamos para casa (os doutores em obstetrícia #SQN). Disse que se fosse preciso ligaríamos, minha irmã montaria minha mala e levaria com a mala da Nina para a maternidade, mas que COM CERTEZA não ia precisar.

Fomos tranqüilos para a maternidade e as contrações estavam bem doloridas, mas suportáveis. Chegamos e me examinaram. Contrações com intervalos de 5 minutos e intensidade 80%, porém, nadica de nada de dilatação. A enfermeira disse que achava que era alarme falso e ligou para minha médica. Nisso eu e meu marido super doutores nos olhamos do tipo: “a gente já sabia que não seria hoje”, e ele ligou para minha irmã dizendo que estávamos voltando logo mais, enquanto a enfermeira falava com minha médica no telefone.

A enfermeira desligou o telefone e disse: a médica pediu para te internar!!!

Oooooooooooooooooooooi? Internar pra que? Não era alarme falso???????? Aí meu marido solta A Pérola da vida para a enfermeira: “eu estou super cansado porque ainda não dormi, fiquei assistindo a luta… posso ir para casa descansar um pouco então?”

Podem morrer de rir!!!! Eu morro de rir até hoje quando lembro disso!!!!!!

A enfermeira olhou pra ele indignada e disse: PAI, sua filha vai nascer!!!! Eu não sei que horas, mas ela vai nascer HOJE!!!! Se você for embora corre o risco de não ver o nascimento!!!!!

Coitado do marido, Perdidinho da Silva. Na verdade, nem a minha ficha tinha caído direito e eu fiquei ali, meio perplexa só ouvindo o diálogo de loucos… mas entendi o novo papai. Ele achava que eu ficaria lá por hoooooooooooras em trabalho de parto (lembram que eu queria parto normal?), e que a presença dele seria desnecessária. Acho que ele dormiu nessa aula do curso de gestantes, quando disseram que a presença do pai é super importante durante o trabalho de parto.

O fato é que foi preciso ligar para minha irmã de novo e mudar todo o discurso. Eu calmamente listei tudo que ela precisava colocar na minha mala (já tinha a lista de enxoval da maternidade de cor e salteado) e o que mais precisava trazer. Ligamos para os avós e meus pais quase surtaram, pois moram em Bragança Paulista e tinham medo de não chegar a tempo. Eu suuuuuper tranqüilizei os dois, pois falei que a médica tinha acabado de ser contatada e iria demorar ainda. Afinal, nem dilatação eu tinha.

Meu marido foi comer alguma coisa e já me levaram para a sala do pré parto. Me examinaram de novo e nada de dilatação. Até aí eu achava que o parto seria induzido. Mas gente, a partir deste momento as coisas foram tão rápidas que eu nem lembro direito. Eu só sei que dei entrada na maternidade umas 4 da manhã e as 9 minha médica estava lá. Me perguntou se eu estava pronta e disse que iríamos começar. Hã? Começar o que? Meu marido foi comer criatura, eu tenho que esperar ele chegar. E o parto normal? Eu nem to gritando igual louca de dor e já vai começar?

Isso foi algo que me incomodou muitoooooooooooooooooooooo. Fui para a cesárea meio às pressas sem muitas explicações. Tudo foi tão rápido que eu nem raciocinava para conseguir questionar alguma coisa. Achei que o processo foi meio mecânico, do tipo: vamos logo que o anestesista já está esperando e não pode perder tempo. Mas na hora não conseguia visualizar ou questionar nada. Não tentamos o parto normal, não foi feito nada para ao menos tentar. Mas tudo bem… isso é outra história.

Voltando à espera do retorno do marido faminto, ele chegou no quarto que eu estava, me deu um beijo e nos despedimos. Esse momento foi um dos mais emocionantes da minha vida. Fiquei com a enfermeira e ele nos encontraria no centro cirúrgico. Meu marido, meu companheiro, meu amor, com aquela roupa de hospital se preparando para ser pai!!!!! Isso é muito mágico!!!!

Entrei no centro cirúrgico apavorada de medo da anestesia, mas não doeu e o parto foi super tranqüilo. Toma anestesia, vira de um lado pro outro, corta, serra, abre, e eu sinto exatamente o momento em que a Nina escorregou e saiu da piscininha aquecida particular onde viveu por 37 semanas!!!! Sem dor, mas sentindo tudo!!!!

A Nina nasceu… e não chorou. Eu a vi muito rápido e já levaram ela para o oxigênio, porque segundo a pediatra ela tinha preguiça de respirar. Não fiquei em pânico, porque acho que estava ainda tentando entender tudo. Demorou um pouquinho e finalmente ela chorou. Me trouxeram minha pequena, minha jóia, o que seria o meu motivo de ter forças para encarar qualquer dificuldade da vida. Eu fiquei um pouco com ela no colo, mas logo tiveram que levá-la em função da dificuldade respiratória, o que gerou alguns dias da Nina na UTI, e o que será o tema da minha próxima retrospectiva.

Nina3

Nina2

Bom, no final das contas trabalhei até o último dia que foi possível e os planos foram por água abaixo. A Nina escolheu o dia 08/07/2012 para chegar ao mundo, às 9:23 da manhã. Nasceu com 47,5 cm e 2,950 Kg e desde este dia minha vida é muito mais colorida e feliz!!!! Não há amor mais puro e verdadeiro e só quem é mãe consegue entender a intensidade deste sentimento. Quem não é imagina, mas só vai sentir de verdade quando viver esse sentimento que realmente é um amor incondicional, daqueles que você dá a vida!!!!

Nina1

É mágica e inexplicável essa obra de Deus!!!! Não me canso de olhar para a Nina e admirar tanta perfeição. E me orgulho muito sempre que me dou conta de que FUI EU QUEM FIZ!!! #mamaecorujafeelings

Nina6

Nina5

E com vocês mamães, como foi? Os babies nasceram de parto normal, cesárea, marcado, inesperado? Vou adorar conhecer outras histórias.

Beijos – Mari

Deixe seu comentário

29 comentários

  1. Aí Mari, esse dia é bom demais!!!!
    Esse post eu já fiz, foi um dos últimos, depois entrei em uma fase da Isabela não fazer cocô que né deixou meio alucinada….
    O da descoberta ainda estou escrevendo para te mandar!
    Mas é um milagre. Um sonho, o nascimento de um amor incomparável. Não cabe no peito.
    Bom dia!!!
    Bjs

    Débora Paula Santos Fazzio
    http://blogmabel.wordpress.com/
    Enviado via iPhone

    >

  2. Tati comentou:

    Mari! isso é lindo demais! um momento único! Seu sorriso lindo na foto com ela nos braços nem precisa de legenda não é?!!!!! A Laura nasceu dia 08/06/2012, um mês antes da Nina, ás 3 e meia da madrugada! Fiz cesariana também e foi tudo super tranquilo! Beijo pra vocês!!! :)

    1. Nossa Tati, exatamente 1 mês de diferente entre a Laura e a Nina. Aliás, acho Laura um nome lindoooooooo!!!!! Realmente as fotos traduzem tudo! Beijos

  3. Roberta Azevedo comentou:

    Eu tb queria muito o parto normal, mais a minha ginecologista nunca me incentivou, acho que na gravidez dos Arthur eu fiquei com ela por ter pertido os meus trigêmeos e ela cuidou super bem de mim, mais eu mantive firme e forte dizendo que queria parto normal o meu plano era espera até 40 semanas mais quando fez 39 semanas e 5 dias eu comecei a sentir dores muito fortes, meu marido pediu para eu ligar para médica, mais eu não queria sabia que ela ia me amarrar naquele hospital, já estava com tudo pronto mais não levei nada, falei para todos que daqui a pouco eu estaria de volta #sqn ela já estava no hospital fazendo um parto já era 23:00hs e eu lá doida para ir embora, ela chegou fez um exame para ver o batimento cardíaco falou que ia ter que ser naquela hora que o bebê poderia entrar em sofrimento PODERIA não estava estava e que ela não ia esperar mais, não queria esperar nem eu ligar para o fotógrafo, fui ligando e fazendo meu marido fazendo a internação, ligando para família e traz mala pega pasta de documento meu marido mega barbudo parecia que eu estava em uma maratona, acabou que eu fiz uma cesariana sem querer, é tudo tão rápido que realmente vc fica sem opção! O momento mágico do parto normal não aconteceu como eu sonhei, mais depois que vc vê aquele bebê lindo acaba que na hora nada mais importa, só o grande sonho da sua vida que você acaba de realizar. Adoro o seu blog, Parabéns pelo seu trabalho! Sigo vc lá no IG @ maedoprincipearthur.

    1. Oi Roberta!!! É vc a mãe do príncipe Arthur então???? Que legal ver comentário seu por aqui. Comigo foi um pouco diferente, mas o parto normal não rolou. Mas como você disse, ter o nosso baby tão esperado nos braços faz tudo ficar muito pequeno mesmo. Muito obrigada pelo carinho. Beijão!!!!

  4. Daniela Azevedo comentou:

    Mari, cada dia que passa fico mais apaixonada pelo seu blog. Vc escreve de uma forma muito gostosa, ao mesmo tempo engraçada e emocionante. Tenho uma pequena da mesma idade da Nina e não tinha ideia que um dia sentiria esse amor tão imenso, que chega a doer, por uma criaturinha que está há tão pouco tempo na minha vida. E esse amor cresce, a cada dia, e só cresce…. Bjs pra vcs duas.

    1. Dani, obrigada pelos elogios!!!!! Fico super feliz com palavras carinhosas assim. Realmente amor de mãe é algo inexplicável!!!! Beijo para vc e sua little princess :)

  5. Nagela Cardoso comentou:

    Marinaaaaaa…. Acabei de ler o seu blog de “cabo a rabo” . Palavras lindas, dicas ótimas, e posso te dizer, O SEU BLOG É O MAISL LEGAL QUE JÁ LIIIII…. Eu tenho 26 anos, sou Mãe do Gustavo de 1 ano e 1 mês e estamos vivendo a mesma experiencia, nossos filhos tem praticamente a mesma idade, então, a identificação com o blog foi de cara.

    1. Nossa!!!! Quanto elogio lindo!!! Muito gostoso receber mensagens como a sua Nagela. Beijão!!!!

  6. Eliana Costa comentou:

    Oi Mari! Entendo perfeitamente esse sentimento que vocé descreveu de quando a médica chegou… Apesar do meu ter sido normal, também estava completamente perdida, não sabia bem como as coisas aconteceriam… Acho que se tivessem me falado que eu teria que ir para a cesárea, acho que também não conseguiria contestar…
    Bom, no meu caso, completaria as 40 semanas no dia 09/04. Por orientação da minha médica e por minha vontade, não queria que passasse desse dia… Acabamos marcando a cesárea para o dia 04/04 as 7 horas, única data disponível na maternidade, pois já estava com 38 semanas completas e nem sinal do Lucas querer nascer! Mas ele deve ter pensado assim: “eu é que decido a hora de sair!!!” Rsrs Pois no dia 03/04 as 00:30 senti a primeira contração, e que já começaram de 10 em 10 minutos… E que logo passaram para 5 em 5! Cheguei na maternidade as 2:15 já com 5 cm de dilatação e as 3:30 já estava com 7 cm… O Lucas chegou as 4:25!
    Apesar de ter marcado a cesárea, hoje sinto orgulho de ter passado pelo parto normal… Acredito que muitas cesáreas acontecem por falta de informação ou até por essa coisa toda que também senti quando cheguei a maternidade…. Como já estava com bastante dor, acho que se tivessem me mandado pra cesárea, não sei se conseguiria me opor… Foi tudo muito rápido! Não deu tempo de pensar! Rsrs O que ajudou foi que a minha médica sabia da minha preferência pelo PN e porque tive a sorte de estar com bastante dilatação…
    Bom, foi assim! Adoro seu blog e suas postagens no Instagram! Sua filhota é linda! Fico babando nela! Beijos!

    1. Nossa Eliana, foi super rápido do início do trabalho de parto até o Lucas nascer né? Que máximo!!!!!! Eu ainda não desisti. Quando tiver o segundo baby quero tentar o parto normal sim. Muito obrigada pelo carinho querida!!! Beijos

  7. Comadre July comentou:

    Maricota q emocionante este post…so lembro do tel tocar e…”Ju, ela nasceu”!!!… Como assim nasceu Mari,?? Momento unico este!!! Muito orgulhosa desta
    Dinda!! Amamos vc!

    1. Também amo vocês!!!!! Manda beijos para o príncipe e para a nossa princesa!!! Beijos

  8. Mari, mto lindo seu post. Eu sou toda boba tb, me emociono com toda linda historia de parto, nao importa se foi cesarea ou normal. Meu marido tb teve vários destes episódios de oi? como? que? o que vc ta falando e pensando? Tanto que enquanto eu estava tendo as contracoes do parto da segunda filha ele foi no dentista!! kkk e eu fiquei com minha mae! Hoje eu dou risada disso! Temos algo em comum tb , minha primeira filha, hoje com 5 anos, tb nasceu no primeiro dia da 37a semana, miudissima, com 2.100kg e 43 cm!! Ela teve baixo peso ao nascer e tb ficou na UTI 3 dias. Até hoje ela é suuuper miúda, é a menor da escola, a mais magrinha de todas as amigas e todo mundo já tentou me por caraminholas na cabeca, mas o que importa é que elas ( a Nina tb) sao super saudáveis, e hoje em dia já nem ligo mais para isso. O único que sempre me deixa preocupada é quando ela pega alguma virose com diarréia, que fico aprrensiva de que perca o peso que ela nao tem de reserva. Vc é uma fofa, uma das únicas blogueiras que eu sigo que responde os comentarios e é tao atenciosa. Estou esperando seu contato por email. Bjss. Carina, mami da Julia e da Johanna e autora do novo blog Materna : )

    1. Oi Cá!!!! Várias coisas em comum mesmo né? :) Obrigda pelo carinho e pelos elogios. Acho que responder os comentários tão carinhosos que venho recebendo é o mínimo que posso fazer por gente que vem sendo tão bacana comigo. Estou correndo muito no trabalho esses dias, mas assim que tiver uma folguinha vou te mandar um email sim!!! Adorei conhecer um blog materno internacional!!! rs. Beijos

  9. Kamila Farhat comentou:

    Lindo relato… emocionante !!

    Esses papais hein.. são todos iguais ! Meu marido deu tanto fora no dia do nascimento do Rafa que hoje lembrando morremos de rir…

  10. Isabelle comentou:

    Oi Mari!!!

    Acabei de ler este post e fiquei super emocionada, mas minha história é beeeeeeem diferente da sua!!!
    Nunca fui a pessoa mais natureba do mundo, (acho q só com alimentação mesmo q cuido bastante), mas qdo descobri q estava gravida resolvi fazer yoga, hidroginastica, caminhada e drenagem linfatica. Eu tenho pressao alta entao tive q tirar TODO sal da minha alimentação. Antes de ter o Arthur eu engravidei mas perdi c pouco mais de 4 semanas… Imagina, eu ja tinha 35 anos , pressao alta, surtei total achando q nunca mais iria conseguir engravidar, resultado=10 kg a mais na balança qdo eu fiquei gravida do Arthur. Eu tinha q medir minha
    pressao TODO DIA e caso tivesse alteração eu já ligava p o obstetra (que por sinal foi um fooooofo comigo).
    Eu sempre tive medo de sentir dor do parto, sou uma pessoa muito pratica e só de pensar em ficar horas sentindo dor ou fazendo com q meu filho sofresse p vir ao mundo nossa!!!! Nem pensar!!!!
    Cheguei um dia no consultorio e disse:
    -“Dr. quero marcar dia e hora p meu filho nascer.”
    -” Que bom Isabelle, pq vc com pressao alta jamais poderia ter parto normal”.

    Enfim, no final da gravidez , perto da 38 semana minha pressao estava subindo demais e resolvemos fazer a cesaria no dia 31/03/2012 as 8 da manha na pro matre em sp. Dia mais feliz da minha vida!!!!!

    Esse foi só um resuminho da história toda. Quem sabe um dia a gente possa marcar um encontrinho de mamaes p contarmos mais nossas historias né??!! Ta aí uma idéia p blog!!!!

    Bjos
    Isa

    1. Isa, quanta coisa vc fez durante a gestação!!!! Eu fazia drenagem e hidroterapia com muito esforço para não faltar…rs. Do segundo filho sabe-se lá o que será possível. Muito chato ter perdido um bebê. Não consigo imaginar a terrível sensação que deve ser. Graças a Deus o Arthur veio!!!!! E não importa de que jeito né? Você não é a primeira que sugere esse encontro de mamães viu… estou pensando em como fazer e logo conto para vocês. beijos!!!!

  11. Camila comentou:

    Quanta história bacana de aprender!