Categorias:Decoração  • e Mais  • Faça você Mesma  • Festas  • Fornecedores  • Mami Indica  • Produtos  • Receitas

Aniversário do Yuri 1 Ano – O Tempo Voa (Cardápio)

•  por  •  postado em

E começa a série de posts sobre a Festinha de Aniversário de 1 ano do Luli!!!!! :-)

Estava ansiosa para contar os detalhes para vocês, mas estava esperando as fotos da fotógrafa chegarem. Aliás, as fotos ficaram lindas! Quem fez foi a Erika, da Photo Partners by Karim Scharf, que já tinha fotografado o Batizado do Luli.

Como são muitas informações sobre a festinha, já que fiz praticamente tudo em casa, vou começar pelo cardápio, pois é o que mais estão me pedindo.

Com exceção dos docinhos, fui eu, com a ajuda de algumas amigas (Neima, Bru e Di… obrigada queridas! Vocês foram muito importantes para que tudo desse certo!), quem fiz todas as comidinhas. Peguei a arte dos toppers que comprei na Little Faces, e montei o cardápio em documento word. Aí imprimi em papel linho 120g e coloquei um em cada mesa.

Como o tema da festa foi “O Tempo Voa”, eu escolhi o cardápio tentando criar alguma relação com o primeiro ano do Luli, e aí contei uma mini historinha no próprio cardápio, para cada opção que servimos.

CardápioLuli

Estiveram presentes 40 adultos e 15 crianças. As quantidades de comida e bebida foram mais que suficientes. Sobrou pouca coisa, mas as pessoas comeram muito bem!!!! Não tivemos desperdício de comidas começadas e não terminadas sabem? Aquelas coisas que a pessoa morde um pedacinho, não gosta e deixa de lado, não rolou.

Vale dizer também que tive três pessoas me ajudando durante a festa, preparando tudo e servindo os convidados, já que não deixei mesa montada com as comidinhas para liberar mais espaço no salão.

SALGADOS

Torta de frango com massa de farelo de aveia

A receita da massa eu já postei aqui no blog, e o recheio fiz com frango desfiado da Vapza, ervilha congelada da Daucy, tomate, requeijão e cheiro verde. Assei em forminhas individuais e servimos em uma bandeja, em temperatura ambiente. Não sobrou nada.

Quantidade – 2 receitas, que renderam 60 tortinhas individuais.

Pãozinho de inhame

Também já postei a receita aqui no blog. Assamos só metade, porque as meninas que estavam me ajudando esqueceram de assar a outra parte…rs. Servimos em uma cesta forrada com guardanapo de pano.

Quantidade – 2 receitas, que renderam uns 100 pãezinhos.

Sanduíche de carne louca

Cozinhei na pressão, por 45 min, 4kg de músculo em pedaços com cebola picada, alho, sal, pimenta do reino, salsinha, uma pitada de canela e tomate pelado. Para desfiar a carne usei a batedeira planetária com o batedor que parece um gancho, usado para bater massas. Foi muito fácil! As meninas que estavam me ajudando aqueceram a carne e serviram os sanduíches quentinhos.

Quantidade – 4 Kg de músculo e 150 pãezinhos. 3 Kg de carne 100 pãezinhos seria o suficiente, considerando as outras opções que tínhamos. 

Mistinho quente

Usei pão de fôrma sem casca, manteiga, mussarela e presunto. Montei os sanduíches e colocamos no grill, dividimos em quatro sanduichinhos e servimos quente. Não sobrou nenhum.

Quantidade – 2 pacotes de pão de forma, 350 g de mussarela e 350 g de presunto. 

Milho refogado

Aquecemos manteiga, acrescentamos o milho enlatado da Bonduele cozido no vapor (é mais macio e adocicado), sal, e servimos em copinhos pequenos. Não sobrou nada.

Quantidade – 4 latas de milho. 

Palitinhos de cenoura, pepino e tomate

Fiz iogurte caseiro (uso a Iogurteira Izumi), deixei dessorando por aproximadamente 1 hora no coador de café, para ficar mais consistente. Temperamos o iogurte com azeite, sal, limão e pimenta do reino, preenchemos o fundo de um copinho com essa coalhada e colocamos palitinhos de cenoura, de pepino, e um tomatinho espetado em um palito de dente. Sobraram 05 copinhos.

Quantidade – 1 litro de iogurte caseiro dessorado, 3 cenouras, 3 pepinos e 1 caixinha grande de tomatinhos.

IMG_3755

 

Biscoito de polvilho

Servimos em saquinhos de pipoca fechados com whashtape.

Quantidade – 2 sacos de biscoito, mas sobrou. 1 saco seria o suficiente.

Os biscoitos são esses que estão nos saquinhos na cadeirinha branca.

IMG_3760

 

Creme de mandioquinha

Refoguei cebola na manteiga, acrescentei mandioquinha picada, sal, e cobri com água. Quando estava bem molinha, já desmanchando, bati com o mixer, acrescentei creme de leite fresco e deixei ferver um pouco. Servimos em copinhos de isopor. Não sobrou nada

Quantidade – 10 mandioquinhas e 1 litro de creme de leite.

Creme de abóbora

Refoguei cebola e alho no azeite, acrescentei a abóbora com casca picada, sal, nós moscada e cobri com água. Quando estava bem molinha, já desmanchando, bati com o mixer e deixei ferver um pouco. Servimos em copinhos de isopor. Não sobrou nada

Quantidade – 1 abóbora japonesa

 

DOCES

Antes de falar dos doces, acho bacana dizer que deixei uma mesa baixinha, com um varalzinho com fotos do Luli comendo ao fundo, com comidinhas que agradam mais as crianças (frutas, iogurte, achocolatado, biscoito e água), onde elas podiam se servir à vontade.

IMG_3762

Canjica

Minha amiga Neima quem fez. A receita dela já postei aqui no blog. Servimos em copinhos de isopor. Não sobrou nada.

Quantidade – 1 pacote de canjica, 2 garrafinhas de leite de coco, 2 latas de leite condensado, 1,2 litro de leite integral.

Manga, Uva, Melancia e Banana

Servimos em copinhos com garfinhos. A banana sobrou bastante, o restante das frutas não sobrou nada.

Quantidade – ¼ de melancia, 5 mangas, 2 cachos de uva sem semente, 15 bananas

IMG_3766

IMG_3618

Iogurte Caseiro com mel

Fiz iogurte caseiro na Iogurteira Izumi, servimos em potinhos de papinha industrializada decorados com whashtape, com um melzinho preso na colherzinha também com whashtape. Como sobraram melzinhos, deixei um copinho com alguns avulsos e as crianças também comeram. Não sobrou nada.

Quantidade – 1 litro de iogurte

IMG_3769 IMG_3768

Bolo de Cenoura com brigadeiro

Tem um post sobre ele aqui no blog.

IMG_3757

Docinhos

Encomendei 150 docinhos da Marmel Brigadeiros (brigadeiro, docinho de frutas vermelhas, leite ninho e paçoca), que decorei com os toppers que fiz na Little Faces, e ganhamos mais 50 palhas italianas decoradas com o tema da festa da Artejam. Essas palhas são deliciosas!!!! Os docinhos são os que peço sempre nas festas em casa. Sobrou bem pouco.

IMG_3771 IMG_3758 IMG_3754 IMG_3772

Bebidas

IMG_3763

Água

A água consumida foi basicamente as garrafinhas decoradas com adesivos da Little Faces que deixei disponíveis pelo salão. Tinham 36 garrafinhas e foram mais 04 garrafas de 1,5 litro.

 IMG_3767

Suco

Servi sucos Do Bem de laranja, limão, uva e água de coco. Eu não sei exatamente quantos litros foram consumidos porque compramos no distribuidor e sobrou para o aniversário da Nina. Mas acredito que foram 12 litros.

IMG_3756

Achocolatado com rosquinhas

Batemos no liquidificador leite integral gelado com achocolatado e servimos em garrafinhas de vidro decoradas com whashtape e os toppers da Little Faces, com duas rosquinhas no canudo. Sempre sirvo esse achocolatado nas festas em casa e é sucesso entre as crianças e adultos também!

Quantidade – 4 litros de leite e 2 pacotes de rosquinhas.

IMG_3761 IMG_3765

Cerveja

80 garrafinhas long neck. Sobrou pouca.

Cafezinho

Deixamos a máquina da nespresso com cápsulas disponíveis na saída.

Deu bastante trabalho preparar tudo, mas não foi nada impossível de ser feito. Fui fazendo devagar e levei um dia inteiro para conseguir preparar tudo, se somar o que fiz dois dias antes e o que fiz na véspera. Valeu muito a pena o esforço. Foi super gratificante ver todo mundo comendo, principalmente as crianças, com tanto gosto e os elogios correndo solto!!!!!

Logo é o niver da Nina e eu que farei tudo de novo. O cardápio será menos elaborado, mas bem caseirinho também. É um sossego contratar buffet e também muito gostoso, mas acho que preparar tudo em casa, além de ser uma economia financeira absurda, é gratificante!

Espero ter ajudado quem estava esperando as dicas. No próximo post conto sobre a recreação da festa.

Beijos – Mari

 

Categorias:e Mais  • Receitas

Receita Fácil: Bolo de Cenoura com Brigadeiro

•  por  •  postado em

Apesar de eu ter recebido algumas críticas, no Instagram, sobre a “estética” do bolo do aniversário do Luli, eu achei que ele ficou bem simpático e em linha com o estilo de decoração, além de ter ficado delicioso!!!

Estou recebendo muitos pedidos da receita. Não tem segredo, é um bolo de cenoura comum, mas vou passar o passo a passo aqui para vocês, assim fica mais fácil, quando alguém quiser.

Fiz duas receitas da massa e três receitas do brigadeiro, para, aproximadamente, 50 pessoas. Sobrou um pedaço pequeno, que daria para mais umas 10 pessoas.

Bolo de Cenoura

MASSA

Ingredientes

2 cenouras descascadas e picadas. Não precisa se preocupar com o jeito que vai cortar, porque vai ser tudo batido no liquidificador. O importante aqui é o tamanho das cenouras. Se usar cenouras muito grandes, o bolo vai ficar pesado, se usar muito pequena, vai faltar líquido. Não tem um tamanho certinho, mas são duas cenouras médias.

3 ovos inteiros

½ xícara de óleo

1 e ½ xícara de açúcar (usei o açúcar cristal orgânico)

2 xícaras de farinha de trigo peneirada

1 colher de sopa de fermento

Para medir os ingredientes, eu uso aqueles kits medidores.

Modo de Preparo

Bater no liquidificador a cenoura, os ovos, o óleo e o açúcar até formar um creme bem homogêneo e começar a fazer bolhas de ar.

Incorporar, aos poucos, a farinha peneirada e ir misturando manualmente e devagar.

Acrescentar o fermento e mexer só para misturar na massa.

Assar em forno pré aquecido a 180 – 200 graus por aproximadamente 35 min, ou até espetar um palito ou garfo e sair limpo.

Eu fiz duas receitas e assei em três partes. Uma fôrma redonda maior, e duas fornadas em uma fôrma menor.

 

BRIGADEIRO

Ingredientes

1 lata de leite condensado (uso sempre o da Nestle)

1 colher de margarina ou manteiga (usei Doriana)

4 colheres de chocolate em pó (usei o do Padre, da Nestle)

Modo de Preparo

Derreta a manteiga em uma caneca ou panela, acrescente o leite condensado e o chocolate e misture. Isso deve ser feito com o fogo de médio para baixo, pois, se deixar o fogo alto, o brigadeiro vai queimar no fundo e pode formar aquela casquinha de açúcar. Eu, na verdade, adoro essa casquinha, mas, para um dia de festa, não era o que eu queria.

O segredo do brigadeiro é cozinhar em fogo baixo e não parar de mexer. Não precisa mexer muito rápido, é ir mexendo para não deixar queimar o fundo.

Quando começar a ferver, em pouco tempo ele vai ganhar consistência e vai começar a desgrudar da panela. Depois que esfriar, ele vai endurecer um pouco, então, tem que deixar mais mole do que o ponto que você já usaria para rechear e cobrir o bolo.

Deixe esfriar em um refratário ou em um prato.

Na hora de rechear, cortei o bolo maior ao meio, recheei, coloquei um pouco de brigadeiro no centro, para parte do bolo menor fixar, coloquei mais brigadeiro, e a outra massa pequena por cima. A massa do brigadeiro que sobrou, espalhei por cima da última camada de massa. Se você quiser brigadeiro para cobrir todo o bolo, precisa fazer mais uma receita de brigadeiro.

Já me deu água na boca! Comeria um pedaço agora!!!

Beijos – Mari

Categorias:Bebês e Crianças  • Saúde

Fisioterapia Respiratória para Bebês

•  por  •  postado em

Já comentei em algum post aqui, e algumas vezes no Instagram (@blog_mamiemais), que o Luli foi diagnosticado, há três meses atrás, como “bebê chiador” e, em um dos resfriados que ele pegou, a pediatra recomendou que testássemos algumas sessões de fisioterapia respiratória, para eliminar a secreção que estava acumulando, trazer mais conforto para o pituco e evitar o uso de medicação.

Eu já tinha ouvido falar desse procedimento, mas não sabia como funcionava na prática. Acompanhei a primeira sessão do Luli e a resposta positiva foi imediata! No primeiro quadro o Luli passou por cinco sessões e, na semana passada, por mais três, onde, além das manobras para ajudar a deslocar e expelir a secreção, foi necessária também a aspiração.

Quem nos atende é a Bruna, fisioterapeuta super atenciosa, carinhosa e paciente. Como trabalho o dia todo, ela vai até o berçário para realizar as sessões do Luli, que são sempre acompanhadas por uma profissional da escolinha.

E como esse é um tema que despertou o interesse de muitas mamães nas postagens que fiz no Instagram, pedi para a Bruna preparar um texto informativo para vocês. Está bem fácil e gostoso de ler. Espero que gostem!!! No final do post tem o contato da Bruna, para quem quiser conhecer melhor e agendar uma sessão.

IMG_7514Essa é a Bruna, em uma das sessões do Luleco

“Sabemos que, com essa época do ano, os pequenos acabam sofrendo muito devido à mudança de tempo radical e aos vírus respiratórios fazendo a festa! O pior período do ano para eles se inicia em março e vai ruim até julho, podendo se estender até agosto. Nesses meses os hospitais estão lotados, crianças internadas no pronto socorro até conseguir uma vaga na enfermaria ou até mesmo na UTI. Infelizmente não temos como ter controle total sobre a criança pegar um vírus ou não, afinal, mesmo não indo à escolinha, que é a forma mais comum dos pequenos pegarem o vírus, os lugares fechados e visitas são um risco para eles. Não digo isso querendo que fiquem dentro de bolhas e não saiam nunca de casa, afinal todos nós precisamos trabalhar e muitas vezes não temos com quem deixar os pequenos, e também precisamos de um tempo de diversão. Assim, os vírus se aproveitam dessas situações, e aquela “trabalhêra” com um nariz entupido e a tosse carregada começa. Com tudo isso, o trabalho da fisioterapia respiratória também se inicia. “Ah, Bruna, mas eu nunca ouvi falar de fisioterapia respiratória, até meu filho ser internado (num hospital)!”. Ouço isso diversas vezes nos hospitais em que trabalho, e realmente não é um trabalho divulgado pelos pediatras. Os que mais conhecem nosso trabalho e nos indicam são os pneumologistas, afinal, trabalhamos juntos para a melhora do quadro respiratório, seja ele uma bronquiolite (que é causada pelos vírus que estão por aí), asma, pneumonia e outros. Já os pediatras, às vezes, simplesmente não têm quem indicar para atender, e outros acham que não há necessidade para tal.

Mas aí que está o problema: vocês, pais, não são formados em fisioterapia, então não têm a obrigação de saber como são as coisas, portanto nunca se culpem por um quadro respiratório, porque vejo isso comumente no meu trabalho. Não, vocês não tem culpa, nunca passaram por isso. Para isso nós entramos em ação! Conseguiremos avaliar o paciente mais corretamente, auscultar os pulmões para avaliar a necessidade no atendimento, saberemos “manobrar” o peitinho da criança para ajudar a soltar a secreção pulmonar da forma certa e lavaremos o nariz da melhor forma. Com o atendimento da fisioterapia, conseguimos resolver dentro de dias, em conjunto com tudo que falei acima que fazemos, casos respiratórios sem a necessidade de medicamentos (claro que existem casos em que a associação de alguma medicação possa ser necessária) ou até mesmo uma internação. A fisioterapia nos quadros respiratórios funciona como um “alívio instantâneo”, pois a criança que, antes do atendimento, estava irritada, não conseguia mamar ou comer direito devido a obstrução nasal, com crises de tosse, com a respiração cansada, prostrada e afins, melhora! Isso porque todos esses sintomas podem geralmente estar relacionados à obstrução nasal e secreção pulmonar.

Na minha experiência dentro do hospital, nos últimos dois anos, os vírus respiratórios se multiplicaram, e a virulência deles está pior, ou seja, judiando ainda mais dos nossos pequeninos. Por muitas vezes, vou em casas mais de uma vez por ano, em que a mãe, já ciente que conseguimos controlar esses quadros em casa (sendo que, a maioria delas conhece nosso trabalho na marra, após ter internado o filho com um quadro respiratório no hospital) nos chama, e assim fazemos fisio em casa, assim que os sintomas respiratórios que citei se iniciam. Muitas internações são evitadas com esses atendimentos! As sessões de fisio não precisam necessariamente ser pedidas pelo médico, basta você achar que seu filho está com os sintomas que comentei e conhecer alguma fisio, que assim veremos a necessidade de cada um, e escolher a terapia a ser feita, além de ensinar maneiras e dicas de como controlar e amenizar aspectos desse quadro. Às vezes, no atendimento, bastam manobras + inalação + lavagem nasal + tosse, ou dependendo do quadro, uma aspiração nasal, que, por mais que tenha um aspecto ruim, é super bem indicada em casos de obstrução nasal que não conseguimos aliviar somente com lavagem, ou um pulmão muito cheinho de catarro. Avaliamos e fazemos conforme a necessidade, o importante é estarmos presentes e acompanhando os pacientes quando quadros como esses aparecerem, para assim a criança não correr nenhum risco de piora! Desculpem o textão! Hahaha Para quem mora em São Paulo e não conhece nenhuma fisio, eu me coloco a disposição. Meu nome é Bruna, e meu e-mail é: brunadotto@gmail.com. É só entrar em contato!”

Para complementar a informação, no ano passado, a Revista Crescer publicou uma matéria sobre o tema. Está nesse link.

Se tiverem dúvidas, deixem nos comentários que peço para a Bruna me ajudar a responder.

Beijos! Mari